A interactividade da Colheita63 em movimento contínuo para todo o Mundo e especialmente para Lisboa , Tomar , Monte Estoril , Linda-a-Velha , Setúbal , Coimbra , Porto , VNGaia , Braga , VNFamalicão , Santo Tirso , Afife , Vila Real , Vinhais , Bragança , Castelo Branco , Seia , Vendas Novas , Varsenare e Aveiro

quinta-feira, agosto 04, 2011

Cartas de amor


No meu 4º ano copiei uma destas cartas e enviei dentro do Auto da Alma para o outro lado do recreio, através de uma portadora conhecida.
Destinava-se a uma "menina" que mal conhecia de vista, mas era amiga de uma "quase namorada" de uma amigo.

A resposta veio cerca de um mês depois: que não estava interessada, que era muito nova, etc. etc.!
Claro que já tinha arranjado outro namorado!

O "desgosto" foi enorme e serviu de emenda: NUNCA MAIS ESCREVI UMA CARTA A PEDIR NAMORO!

Passei a fazê-lo de viva voz, o que provocou muitos apertos na garganta e muitas oportunidades perdidas.
É que, quando gostava mesmo, as palavras não saíam...

3 comentários:

Anónimo disse...

No LAR havia um livrinho destes.Quando alguma recebia uma carta de amor íamos logo verificar a que número correpondia..(estavam todas numeradas por nós).A imaginação da rapaziada não era grande,mas o facto de copiar aquelas palavra "tão lindas" já era muito romantico!
gb

HB disse...

Pois era , quem não passou por isso.
Eu também copiei uma daí , estava no 4º ano e enviei-a pelo correio , Qual foi o meu espanto no dia seguinte ? Quando estava à mesa para almoçar o meu pai ripou da dita carta e começou a ler , "Inesquecível ......" ......
Foi o carteiro que era amigo do meu pai e em vez da entregar à destinatária entregou-a a ele !!!!!

DuarteO disse...

HB:

Essa carta, da "inesquecível" ainda hoje dá brado!