A interactividade da Colheita63 em movimento contínuo para todo o Mundo e especialmente para Lisboa , Tomar , Monte Estoril , Linda-a-Velha , Setúbal , Coimbra , Porto , VNGaia , Braga , VNFamalicão , Santo Tirso , Afife , Vila Real , Vinhais , Bragança , Castelo Branco , Seia , Vendas Novas , Varsenare e Aveiro

sexta-feira, fevereiro 29, 2008

Será ???

Para adultos altamente contemporâneos e da n/idade

Dizem que todos os dias temos que comer uma maçã por causa do ferro e uma banana por causa do potássio. Também uma laranja, para a vitamina C, meio melão para melhorar a digestão e uma chávena de chá verde sem açúcar para prevenir a diabetes.

Todos os dias temos que beber dois litros de água (sim, e logo a seguir mijá-los, que leva quase o dobro do tempo que os levei a beber).

Todos os dias temos que tomar um Activia ou um iogurte para ter 'L. Cassei Defensis', que ninguém sabe exactamente que porcaria é, mas parece que se não ingeres um milhão e meio todos os dias, começas a ver toda a gente com uma grande diarreia ou presos dos intestinos.

Cada dia uma aspirina, para prevenir os enfartes, mais um copo de vinho tinto, para a mesma coisa. E outro de vinho branco, para o sistema nervoso. E um de cerveja, que já não me lembro para que era. Se os tomares todos juntos, mesmo que te dê um derrame cerebral na hora, não te preocupes, pois o mais certo é que nem te dês conta disso.

Todos os dias tens que comer fibras. Muita, muitíssima fibra até que sejas capaz de defecar uma camisolona bem grossa.

Tens que fazer quatro a seis refeições diárias leves sem te esqueceres de mastigar cem vezes cada garfada. Ora, fazendo um pequeno cálculo apenas a comer vão-se assim de repente umas cinco horitas. Ah, depois de cada refeição deves escovar bem os dentes, ou seja, depois do Activia e da fibra, os dentes; depois da maçã, os dentes; depois da banana, os dentes. Assim, enquanto tiveres dentes, não te podes esquecer nunca de passar o fio dental massajador das gengivas e bochechar com PLAX...

Melhor, amplifica a casa de banho e põe a aparelhagem de música lá, porque entre a água, a fibra e os dentes vais passar muitas horas(quase metade do dia) ali dentro.Equipa-o também de jornais e revistas para te pores a par do que se passa, enquanto estiveres sentado na sanita, porque com a quantidade de fibra que estás a ingerir, são mais umas horitas diárias.

Temos que dormir oito horas e trabalhar outras oito, mais as cinco que usamos a comer, faz vinte e uma. Restam três horas, isto se não surgir nenhum imprevisto. Segundo as estatísticas, vemos três horas de televisão diárias. Bem, já não podes, porque todos os dias devemos caminhar pelo menos uma meia hora (convém regressares ao fim de 15minutos, senão andas mas é 1 hora!).

E há que cuidar das amizades porque são como uma planta: temos que as regar diariamente. E quando vais de férias também, suponho, senão as plantas morrem nas férias. Para além disso, há que estar bem informado e ler pelo menos um dos jornais diários e uma revista séria, para comparar a informação.

Ah! E temos que ter sexo todos os dias mas sem cair na rotina: temos que ser inovadores, criativos, renovar a sedução. Isso leva o seu tempo. E já nem estamos a falar do sexo tântrico!! (a respeito disso,relembro: depois de cada refeição temos que escovar os dentes!)

Também temos que arranjar tempo para a maquilhagem, a depilação/fazera barba, varrer a casa, lavar a roupa, lavar os pratos e já nem digo,os que têm gatos, cães pássaros e uma catrefada de filhos...

No total, a mim dá-me umas 29 horas diárias, se nunca parares.

A única possibilidade que me ocorre, é fazer várias destas coisas ao mesmo tempo: por exemplo, tomas duche com água fria e com a boca aberta, e assim bebes logo os dois litros de água de uma vez. Enquanto sais do banho com a escova de dentes na boca, vais fazendo o amor, o sexo tântrico, parado, junto ao teu par, que de passagem vê TV e te vai contando o que se passa, enquanto varre a casa.

Sobrou-te uma mão livre? Telefona aos teus amigos e aos teus pais!

Bebe o vinho e a cerveja (depois de telefonares aos teus pais, vai fazer-te falta!). O iogurte com a maçã pode dar-te o teu par enquanto ele come a banana com a Activia.No dia seguinte troquem.

E menos mal que já crescemos, porque senão tínhamos que engolir mais umas Cerelacs e um Danoninho Extra Cálcio todos os santos dias. Úuuuf!

E agora vou deixar-me porque entre o iogurte, o meio melão o primeiro litro de água e a terceira refeição do dia, já não faço a mínima ideia o que é que estou a fazer porque preciso urgentemente de uma casa debanho.

Ah, vou aproveitar e levo comigo a escova de dentes...

( Autor desconhecido )

CRÓNICA DE SEXTA-FEIRA (49ª)

O que é o Benfica?

Ao longo da História da Humanidade, diversas questões se desencadearam, em virtude dos seus mais diversificados contextos e conjunturas. Problemáticas do foro político, ideológico, conceptual, religioso, filosófico sempre despertaram a ponderação e o estudo dos mais insatisfeitos e descontentes com mera explicaçãozinha perniciosa, nociva e dispersa. Por conseguinte cabe-me falar do que é ser benfiquista.
Na quinta-feira, dia 28 de Fevereiro comemorou-se o 104º aniversário de um clube mundialmente conhecido e que goza de um enormíssimo prestígio nacional e internacional.
Este clube é um mito de uma grandeza/ mística incomensurável. É como exalta o hino: “sou de um clube lutador… ser benfiquista é ter na alma a chama imensa/ que nos conquista/ e leva à palma a luz intensa do sol que lá no céu risonho vem beijar/ com o orgulho muito seu/ as camisolas berrantes/ que nos campos a vibrar/ são papoilas saltitantes.”
Somos o clube com mais campeonatos, 31. Temos 24 taças de Portugal, 4 supertaças, 2 taças dos Campeões Europeus, e muitos, muitos, muitos outros.
E o estádio? Cada vez que entro nesse recinto desportivo sinto um calafrio pela sua magnificência, especialmente quando mais de 60000 vozes incentivam o SLB: um verdadeiro inferno.
O Benfica, actualmente, vive um momento de crise e de escuridão, mas… acredito que como tudo haverá um momento em que “chama imensa” voltará a revigorar e, aí, teremos a nossa vingança de todo o escárnio e humilhação que sofremos. Nunca irei perder a esperança de ver com os meus próprios olhos o verdadeiro Benfica, o “Glorioso”. E trocar de clube? Jamais!
Domingo será o dia para garantirmos o segundo lugar e posteriormente, vamos trabalhar para vencer a taças. A UEFA é um sonho de, pessoalmente, assistir a uma final europeia.
Já não tenho palavras para descrever um mito.
GLORIOSO SLB
GLORIOSO SLB

By Afonso Leitão

Image Hosted by ImageShack.us

quinta-feira, fevereiro 28, 2008

quarta-feira, fevereiro 27, 2008

Há cem anos era assim no Exército...e em Portugal

Um destes dias , numa biblioteca duma unidade militar, deparei com uma publicação editada pelo Ministério do Exército, datada de 1911,dirigida aos cidadãos no cumprimento do serviço militar.
Dado o retrato social dum Portugal de então, não resisto a transcrever o artigo XXII da Cartilha de Higiene, na parte referente ao Asseio do Corpo, que rezava assim:
O soldado asseado, cuidadoso e bem aconselhado, anda menos exposto aos males venéreos. Todo o soldado deve reter bem os conselhos seguintes:
1º - As mulheres matriculadas oferecem mais segurança do que aquelas que o não são;
2º - As mulheres que andam ás sobras do rancho à roda dos quartéis , são mais perigosas do que as outras;
3º - Desconfiar das que forem muito novas , porque são quási sempre as mais estragadas;
4º - Fugir de toda a mulher que tenha males de pele, aftas boca, rouquidão, faltas de cabelo, caroços nas virilhas, e no pescoço, ou nódoas de matéria na roupa;
5º - Não ter trato com mulher que seja enxovalhada;
6º - Untar o membro com vaselina , ou azeite,antes de se servir de qualquer mulher;
7º - Urinar logo em seguida a ter-se servido dela;
8º - Lavar-se com água e sabão o mais cedo que possa;
9º - Não se limpar a panos ou toalhas que pertençam à mulher com quem teve trato.

Parece estar tudo bem, aguardemos!

Cogumelo alucinogénico
Penso eu , Àtila ,que ela ficou assim ...

segunda-feira, fevereiro 25, 2008

Tuizelo - Vinhais

Minha Virgem dos Remédios
Nesse Templo em que habitais
Ouvireis nossos gemidos,
Nossos suspiros e ais!

Esta Imagem é Nsª Senhora dos Remédios,de Tuizelo-Vinhais.
Todos os anos,com início em 31 de Agosto e até 8 de Setembro,são realizadas grandes Festividades em SUA Honra,com novena e,actividades diversas.No dia 7 de Setembro termina a novena com a Procissão de Velas,e o dia 8,O GRANDE DIA-dia da NATIVIDADE de Nsª Senhora,caracteriza-se pela Missa cantada com Sermão,seguida de Procissão.
Durante a tarde actividades desportivas e bailarico.Pelas 20 horas tem início a novena ,que termina com lindos Cânticos á Virgem Maria e com o Cântico de PARABÉNS a Nsª SENHORA.Terminadas as Festividades Religiosas,dá-se início ao Arraial que se prolonga pela noite dentro.Pelas 24 horas há lugar a um demorado e maravilhoso fogo de artifício.
Esta linda Aldeia Transmontana,situa-se a cerca de 42 km de Bragança (direcção Bragança-Vinhais e depois Vinhais-Santalha. De Vinhais a Tuizelo distam apenas 12 Km).Contamos com a Vossa presença em qualquer altura do ano,porque aqui,todas as Estações do ano têem sua Beleza,mas principalmente no dia da Romaria em Honra de Nsª Senhora dos Remédios.Que Nossa Senhora dos Remédios Abençoe todos os Lares por onde esta Imagem passar.
Abraço e Bjinhos com todo o meu Carinho e Amizade.
Mercês Gonçalves
Já lá fui várias vezes e posso dizer que sempre fui muito feliz, lá ..
É preciso dizer que a n/Mercês bem como o seu irmão n/Arnaldo , são naturais de lá

Liceu Nacional de Bragança ...parte 3

By Zé Monteiro
Como me ficaram algumas reminiscências desse tempo , fui aí pescar , mas já andava no 6º ano da Universidade da Vida ...

O seu a seu dono!

Hoje recebi um telefonema de uma menina da PT avisando que um técnico vinha verificar a instalação do telefone para avaliar a possibilidade de a avaria ser local.
Era!
Placas com verdete, fios com mais de 15 anos!
Tudo substituido e a largura de banda duplicou!
Quando querem funcionam.
Não podia deixar de referir esta actuação profissional do técnico que veio a minha casa.
BOA!

domingo, fevereiro 24, 2008

Rebate falso!

Afinal está tudo na mesma, isto é, a má ligação continua!
Participei a avaria no dia 22.02.08 às 11.00, e hoje, dia 24.02.08, às 10.27, está tudo igual.
A avaria é a nº93.951 de 2008!
É obra!
Assim se vê como a Sapo funciona...
Excelente serviço.
A SAPO é uma merda!

sábado, fevereiro 23, 2008

O M.C. tem prémio!

A SEDES descobriu a pólvora ... mas sêca

OLHA A NOVIDADE: ELE HÁ MAL-ESTAR...
Ferreira Fernandes no DN de hoje

Vai por aí um chinfrim por causa de um queixume da Sedes que começa assim: "Sente-se hoje na sociedade portuguesa um mal-estar difuso, que alastra e mina a confiança essencial à coesão nacional." Num texto que começa assim paro no começo. Não leio e oiço outra coisa desde que me conheço. "Sente-se hoje um mal-estar..." Hoje?!!!
Essa gente não ouviu aquele comerciante, no Natal de 1978 (e 88, 93, 2001, 03 e 07), à repórter da RTP: "Este ano ninguém compra nada." E aquele popular ao DN, em 1864 (ou 1984?): "Isto está mau." Essa gente não fala com um taxista desde 1907, ano do primeiro alvará de táxis em Portugal. Nem leu Camilo, falando da pátria: "A choldra vai cair" (A Brasileira de Prazins). Nem Camões, falando do mesmo: "Duma apagada e vil tristeza..." Nem leu, de autores do séc. XVIII: "Reino da estupidez", "reino cadaveroso"... Nem Herculano: "Meu pobre Portugal, hei-de chorar-te."
Mal-estar difuso, é?
Se é, estamos no bom caminho.

Última ajuda!

Outra ajuda...

Uma ajuda...

SAPO!

Parece que desta vez repararam rapidamente a avaria!

Quem é?

Retrato de uma senhora (sem silicone, sem botox, ao natural!).

O primeiro a colocar o nome dela tem prémio...!!!

sexta-feira, fevereiro 22, 2008

A SAPO é uma merda!

Estou outra vez com problemas de ligação à NET.
Vou ficar OFF/OUT durante o tempo que a Sapo achar "conveniente", isto é, até conseguirem detectar e resolver o problema.
A SAPO é uma merda!

AI PORTUGAL, PORTUGAL!...

PSD, SOMAGUE E UMA ABSOLUTA FALTA DE VALORES

«Aconteceu na Suécia. Poucos dias após a tomada de posse, em Outubro de 2006, o primeiro-ministro de centro-direita Fredrik Reinfeldt foi obrigado a substituir duas ministras do seu governo na sequência de pequenos "escândalos" relatados pela imprensa. Maria Borelius, com a pasta do Comércio Externo, saiu passados oito dias e Marie Cecilia Chilò só durou mais dois dias como ministra da Cultura.

Quais foram, afinal, os pecados que levaram a este desfecho precoce e radical? Tinham, anos antes, contratado e pago a empregadas para tomar conta das suas crianças em casa sem fazerem os descontos obrigatórios para a Segurança Social, como vieram a admitir. Sobre Borelius havia uma segunda acusação: há 15 anos que não pagava a taxa de televisão.

Visto do Sul da Europa, o grau de "pureza" exigido na Suécia para o exercício da política raia o utópico e, até, o desnecessário e contraproducente. Como se tem visto crescentemente, se este padrão fosse aplicado em Portugal sobrariam poucas pessoas para formar um governo e ocupar as bancadas parlamentares, os cargos superiores da administração pública e as autarquias.

Mas ainda que se descarte conscientemente a implacável exigência nórdica, a alternativa não tem que ser o outro extremo, o "vale tudo", como está a tornar-se regra.

A desvalorização e o relativismo ético e moral com que a classe política está a olhar para o caso PSD/Somague - excepção feita ao Bloco de Esquerda, que nesta matéria parece ser o único sem telhados de vidro - são mais uma prova disso.

O caso é grave como poucos. Provou-se, pela primeira vez, que uma empresa, por sinal especialmente activa no mercado das obras públicas, financiou de forma ilegal e dissimulada um dos maiores partidos do país, que tem passagens regulares pelo Governo e lidera largas dezenas de câmaras municipais.

Ninguém tem ilusões. Há centenas de casos semelhantes que envolvem a generalidade dos partidos e empresas com variados interesses. Mas este soube-se, foi devidamente tratado pela Entidade das Contas e acaba de ser punido pelo Tribunal Constitucional. É uma ínfima ponta do imenso icebergue, mas é a ponta visível.

Num país onde restasse alguma dignidade, um acto destes faria rolar cabeças e levaria a investigações para averiguar a existência de crime - houve contrapartidas para a Somague? Se não, como é que Diogo Vaz Guedes justifica aos pequenos accionistas da empresa este donativo encapotado?

Mas o PSD, pela voz de Ribau Esteves, veio reduzir tudo a um "desleixo", uma "situação desagradável", um acto sem "dolo ou má-fé". Com tanta autocomplacência e falta do mais elementar sentido de Estado perante um dos cancros maiores do sistema democrático, a pergunta é legítima: se o caso é tão insignificante, vai o partido manter estas práticas de financiamento?

Vieira de Castro, então secretário-geral adjunto do PSD, é o único responsável partidário responsabilizado directamente pelo Tribunal Constitucional. É o elo mais fraco da hierarquia de um partido político que não sabe o que é a responsabilidade política. José Luís Arnaut, secretário-geral, não sabia de nada e Durão Barroso, presidente do partido, também não - de igual modo, passados dois anos, já no Governo, nenhum deles tomou conhecimento da garantia que terá sido dada à Estoril-Sol sobre a posse do edifício do Casino Lisboa.

Portanto, os dois responsáveis máximos do PSD não sabiam como foi paga a renovação de imagem gráfica e visual do partido, uma das tarefas pedidas à empresa de publicidade que a Somague simpaticamente pagou. A forma como os partidos são geridos não pára de surpreender.

Menos surpreendentes são certas práticas empresariais. É fácil ir para os palcos do Compromisso Portugal e fóruns semelhantes falar de transparência, da separação entre o Estado e os negócios e da promoção da concorrência. Tão fácil como, à primeira oportunidade, financiar por baixo da mesa um partido, subvertendo de uma assentada todos esses bons princípios. Foi isto que fez Diogo Vaz Guedes.

Ele e os restantes envolvidos, sabendo todos que estavam a alimentar o cancro do financiamento partidário ilegítimo e tudo o que ele implica. São estas as elites que temos: prometem-nos a Suécia mas só nos levam para o Sul de Itália.» [Público assinantes]



Editorial do Público escrito por Paulo Ferreira (via Jumento - blogue que vale a pena ler diariamente)

O Glorioso ...

Na esperança de aumentar fortemente o número dos seus apoiantes ( só por si , já o maior de Portugal e arredores ), descobri agora a forma muito inteligente como o SLB o anda a fazer.
Intrigava-me sobremaneira a forma como , durante os jogos , tem feito sofrer os seus adeptos , sócios e simpatizantes mas finalmente descobri o porquê.
Numa fascinante manobra de marketing de massas ,o SLB leva quase até ao orgasmo o gozo das mesmas,indiciando que vai perder ou ficar eliminado, e no momento exacto desfere a tal machadada , fazendo-lhe ver a sua grandiosidade e valor, na esperança que algumas delas vire para o sítio certo . Alguma há-de vir ....
Só assim pode lutar com o FCP que tem um orçamento de 40 milhões de euros contra os seus 25. Portanto tudo está bem ,o FCP em 1º , o SLB em 2º com acesso directo à champions e o SCP em 3º ( orçamento de 20 milhões de euros ) e assim há-de acabar.Será...

CRÓNICA DE SEXTA-FEIRA (48ª)

Cuba democrática já!

Esta semana, a política internacional conheceu o fim de um longo, extenso e doloroso domínio governamental o último sobrevivente da Guerra Fria que não mais foi do que um dos mais atrozes tiranos do séc. XX e XXI: Fidel, “El Comandante”.
Fidel Castro Ruz nasce em 1926 no povoado de Biran, na antiga província cubana de Oriente. Em 1952, enceta a sua luta política contra o ditador pró-americano Fulgencio Batista. Em 1961, Batista abandona Cuba, e Fidel ascende ao poder. Durante 49 anos, para além de ter sobraçado as funções Presidente do Conselho de Estado e de comandante supremo das Forças Armadas, também exerceu com mãos de ferro o cargo de secretário-geral do Partido Comunista (a sede real do poder). Como diriam os Gatos Fedorentos “muito fraquinho”, não é? É muito democrático!
Fidel Castro é daquelas personalidades capazes de despertar sentimentos controversos e antagónicos: amado, idolatrado e admirado por uns, o que adquire consequente um carisma invulgar e agudo; e odiado, invejado cujos oposicionistas sempre aspiraram a mudança de modo a inflectir toda uma atmosfera de rigidez e inflexibilidade que caracterizam qualquer regime ditatorial, pautado por princípios totalitários, unipessoais e antidemocráticos. Por exemplo, sobre esta matéria assistimos esta semana através das televisões às manifestações de grande regozijo por parte da comunidade cubana residente nos EUA. Estes cubanos são o rosto da impiedade de um tirano que não aceita a ideia de que outras pessoas ou cidadãos pudessem ter uma opinião ou uma visão diferente da sua. Não seria de todo injusta equacionar a possibilidade de, antes de Fidel morrer, ser julgado por um Tribunal Internacional pelos crimes cometidos.
Bom, no tocante à saúde e à educação, ambas gratuitas, pode-se ainda ressalvar uma nota positiva. Contudo, é visível a qualquer um que a Cuba comunista está a desagregar paulatinamente. Dito por outras palavras, Cuba precisa de uma mudança estrutural que não se resolve com a saída de Fidel. Precisa que desapareça o comunismo ditatorial e que se exaltem os grandes postulados democráticos: eleições livres e justas, uma Assembleia plural, separação límpida dos poderes, liberdade de expressão e opinião, liberdade política, liberdade económica e livre comércio e combate às desigualdades sociais.
Em síntese, o que se deseja não é uma Cuba “colónia americana”. O que se aspira, na minha modesta opinião, é um virar de página, uma mudança se possível liberta das “garras” dos EUA.
Afonso Leitão

quarta-feira, fevereiro 20, 2008

Este tipo de gente vota! (by e-mail)

Um amigo meu comprou um frigorífico novo e para se livrar do velho, colocou-o em frente do prédio, no passeio, com o aviso:

"Grátis e a funcionar. Se quiser, pode levar".

O frigorífico ficou três dias no passeio sem receber um olhar dos passantes.

Ele chegou à conclusão que as pessoas não acreditavam na oferta. Parecia bom de mais para ser verdade e mudou o aviso: "Frigorífico à venda por 50,00 €. No dia seguinte, tinha sido roubado!

Cuidado! Este tipo de gente vota!

-----------------------------------------------------------------------

Ao visitar uma casa para alugar, o meu irmão perguntou à agente imobiliária para que lado era o Norte, porque não queria que o sol o acordasse todas as manhãs. A agente perguntou: "O sol nasce no Norte?" Quando o meu irmão lhe explicou que o sol nasce a Nascente (aliás, daí o nome e que há muito tempo que isso acontece!) ela disse: "Eu não estou actualizada a respeito destes assuntos".

Ela também vota!

-----------------------------------------------------------------------

Trabalhei uns anos num centro de atendimento a clientes em Ponta Delgada - Açores. Um dia, recebi um telefonema de um sujeito que perguntou em que horário o centro de atendimento estava aberto.

Eu respondi: "O número que o senhor discou está disponível 24 horas por dia, 7 dias por semana." Ele então perguntou: "Pelo horário de Lisboa ou pelo horário de Ponta Delgada?"
Para acabar logo com o assunto, respondi: "Horário do Brasil."

Ele vota!

-----------------------------------------------------------------------

Um colega e eu estávamos a almoçar no self-service da empresa, quando ouvimos uma das assistentes administrativas falar a respeito das queimaduras de sol que ela tinha, por ter ido de carro para o litoral.
Estava num descapotável, por isso, "não pensou que ficasse queimada, pois o carro estava em movimento."

Ela também vota!

-----------------------------------------------------------------------

A minha cunhada tem uma ferramenta salva-vidas no carro, para cortar o cinto de segurança, se ela ficar presa nele. Ela guarda a ferramenta no porta-bagagens!

A minha cunhada também vota!

-----------------------------------------------------------------------

Uns amigos e eu fomos comprar cerveja para uma festa e notámos que as grades tinham desconto de 10%. Como era uma festa grande, comprámos 2 grades. O caixa multiplicou 10% por 2 e fez-nos um desconto de 20%.

Ele também vota!

-----------------------------------------------------------------------

Ao chegar de avião, as minhas malas nunca mais apareciam na área de recolha da bagagem. Fui então ao sector da bagagem extraviada e disse à mulher que as minhas malas não tinham aparecido. Ela sorriu e disse-me para não me preocupar, porque ela era uma profissional treinada e eu estava em boas mãos.

"Agora diga-me, perguntou ela... o seu avião já chegou?"

Ela também vota!

-----------------------------------------------------------------------

À espera de ser atendido numa pizzaria observei um homem a pedir uma pizza para levar. Ele estava sozinho e o
empregado perguntou se ele preferia que a pizza fosse cortada em 4 pedaços ou em 6. Ele pensou algum tempo, antes de responder: "Corte em 4 pedaços; acho que não estou com fome suficiente para comer 6 pedaços."

Isso mesmo, ele também vota!

------------------------------ -----------------------------------------

Agora já sabem QUEM elege os políticos!...

Rita Pavoni canta a "minha canção"!

ÚNICO!

As portas do Céu...

Há dias praticava o desporto favorito dos homens (zapping) e assisti numa série, a um enterro de um soldado que tinha morrido no Iraque, e com esta música de fundo...




KNOCKING ON HEAVEN’S DOOR

Mama, take this badge off of me
I can't use it anymore.
It's gettin' dark, too dark to see
I feel like I'm knockin' on heaven's door.

Knock, knock, knockin' on heaven's door
Knock, knock, knockin' on heaven's door
Knock, knock, knockin' on heaven's door
Knock, knock, knockin' on heaven's door

Mama, put my guns in the ground
I can't shoot them anymore.
That long black cloud is comin' down
I feel like I'm knockin' on heaven's door.

Knock, knock, knockin' on heaven's door
Knock, knock, knockin' on heaven's door
Knock, knock, knockin' on heaven's door
Knock, knock, knockin' on heaven's door

Portugale , Carago, MURCÃO... 2

Temos assistido ao longo da história a várias mutações dos sistemas políticas ( feudalismo , monarquias , ditaduras , democracias , etc...) sempre no sentido ( dizem os entendidos ) de melhorar os sistemas e fundamentalmente o bem estar do povo.
Nada é estático , tudo é dinâmico , mas a verdade é que parece que estamos a chegar a um beco sem saída e não podemos de maneira nenhuma deixar que os políticos governem a seu bel prazer e sempre pró seu bem estar.
Já uns tempos que me interrogo aonde iremos parar a longo prazo , teremos solução e qual será ?
Lembrei-me disso na postagem publicada pelo n/C63 Duarte Osório sob o título "Portugale , Carago , MURCÃO " e avivado pela propalada independência do Kosovo. Foi uma grande oportunidade perdida a não aprovação da regionalização no n/ País , que tenho a certeza contribuiria de forma decisiva para a melhoria de toda a população.
Isto apenas seria e deverá ser o 1º passo para a grande transformação que aí virá ( já não devo cá estar , mas gostava ) que é com toda a certeza a independência pura e dura de todas as regiões congénitas do n/País , nas quais estará concerteza a nossa "Trás-os-Montes" . Teríamos grande proximidade entre eleitos e eleitores , mais oportunidades de fiscalização a todos os níveis e o governo seria de quase todos nós. A região de "Trás-os-Montes" teria uns 10.000 kms2 com uma população superior a 250.000 habitantes , mas todos interessados no bem comum.
A Madeira , deverá ser o 1º exemplar a executar este desiderato e tem menos de 1.000 kms2 .
O kosovo tem cerca de 11.000 kms2.
Será isto um sonho ou a evolução natural das coisas ? Para quando ?

Colbie Caillat, a nova voz bonita da Califórnia!

Obra Social Padre MIguel...2



Esta foto vinha na revista que na postagem em baixo referi e coloquei-a porque nela consta o Zé Perdigão ( se vires isto algum dia , recebe um grande abraço ) e um C63 muito assíduo e colaborador do n/blogue, que está muito pomposo ao lado do seu Pai ( para ti também um grande abraço ). Quem é ?

terça-feira, fevereiro 19, 2008

Portugale, carago, MURCÃO!

Obra Social Padre MIguel

Foi sem qualquer tipo de surpresa que tive conhecimento da existência da Obra Social do Padre Miguel , pois só nasceu após a minha saída de Bragança, e ainda menos do seu êxito nos objectivos pretendidos , já que era e é inteiramente merecida e justa , muito bem dirigida e bem apoiada.
Foi a nossa Levinda Penedos que com a sua costumada persistência e apetência para estas coisas do bem-fazer ,nos falou apaixonadamente desta Obra durante os n/encontros e até já procedeu a alguma recolha de fundos ( pequena ) junto da Colheita63 , oferecendo-nos em contrapartida cópias das sua belas pinturas e a revista especial da Obra , edição única de 2007. Está a tratar de informação para através no nosso blogue podermos também colaborar , nomeadamente na recolha de fundos .

Li a revista e especialmente os testemunhos feitos por dois amigos meus , o Niso e o Zé Perdigão. São dua pessoas muito idóneas e credíveis , conheceram de perto o Padre Miguel e eu revejo-me inteiramente naquilo que disseram. Gostava de acrescentar a tudo isso a minha opinião de "não alinhado" mas observador atento do Padre Miguel já que foi meu pároco durante toda a minha infância e juventude.

Lembro-me muito bem dele , do seu ar bondoso e bonacheirão e sempre pronto a perdoar as minhas travessuras , nomeadamente nas procissões em que eu era "obrigado" a ir pelos meus Pais e pela igreja para fazer parte do currículo ( 1ª comunhão ). A 1ª vez fui de "anjinho" , a espera foi enorme , o decorrer da mesma parado, paradinho , começaram a subir-me uns ares e ala , fugi para casa . Reprimenda da grossa da entidade Paternal , outra , muito bondosa do Padre Miguel, Então rapaz que te deu ? eu, calado ... Para a próxima vais portar-te melhor... Só que nas próximas ( foram só mais 1 ou duas ) fui de cruzado e se fugia ninguém dava por mim, portanto tudo bem .

Naquele tempo pontificavam em Bragança , quanto a mim , o Padre Miguel , o Cónego Ruivo e o Padre Videira Pires . Para mim só o Padre Miguel tinha os atributos necessários para ser Padre , Humildade e Caridade.

Esta é a razão fundamental porque só a sua memória perdura e perdurará por todos os tempos.

Vamos todos colaborar e ajudar nesta grande Obra Social.

O NIB é 003501740005017953016

segunda-feira, fevereiro 18, 2008

Claustrofobia...

Não gosto de me sentir apertado ( preso ) , não gosto de comer apertado ( com pouco espaço de manobra ) , não gosto de ambientes fechados ( elevadores , cinemas ) , não gosto de sentir que não tenho escapatória , nos cinemas fico sempre nas coxias ou ao pé duma saída , nos hotéis fico sempre no 1º andar ou mais baixo , mas sempre perto duma saída , etc. etc.
Sempre fui assim , sinto-me sempre mal quando apanho qualquer uma dessas situações.
Aconteceu - me isso hoje, quando regressava de Lisboa para Seia. Sem contar apareci dentro duma bicha infernal e num trânsito caótico , parado , paradinho .
Quanto sofri , estive para abandonar a viatura e fugir a sete pés...

Nostalgia em Dia de Chuva

MATARAM A TUNA

Manuel da Fonseca

Nos Domingos antigos do bibe e pião
saía a Tuna do Zé Jacinto
tangendo violas e bandolins
tocando a marcha Almadanim.

Abriam janelas meninas sorrindo
parava o comércio pelas portas
e os campaniços de vir à vila
tolhendo os passos escutando em grupo.
Moços da rua tinham pé leve.
o burro da nora da Quinta Nova
espetava orelhas apreensivo
Manuel da Água punha gravata!
Tudo mexia como acordado
ao som da marcha Almadanim
cantando a marcha Almadanim.

Quem não sabia aquilo de cor?
A gente cantava assobiava aquilo de cor...
(só a Marianita se enganava
ai só a Marianita se enganava
e eu matava-me a ensinar...)
que eu sabia de cor
inteirinha de cor
e para mim domingo não era domingo
era a marcha Almadanim!

Entanto as senhoras não gostavam
faziam troça dizendo coisas
e os senhores também não gostavam
faziam má cara para a Tuna:
- que era indecente aquela marcha
parecia até coisa de doidos:
não era música era raiva
aquela marcha Almadanim.

Mas Zé Jacinto não desistia.
Vinha domingo e a Tuna na rua
enchendo a rua enchendo as casas.
Voavam fitas coloridas
raspavam notas violentas
rasgava a Tuna o quebranto da vila
tangendo nas violas e bandolins
a heróica marcha Almadanim!

Meus companheiros antigos do bibe e pião
agora empregados no comércio
desenrolando fazenda medindo chita
agora sentados
dobrados nas secretarias do comércio.
cabeças pendidas jovens-velhinhos
escrevendo no Deve e Haver somando somando
na vila quieta
sem vida
sem nada
mais que o sossego das falas brandas...
- onde estão os domingos amarelos verdes azuis encarnados
vibrantes tangidos bandolins fitas violas gritos
da heróica marcha Almadanim?!

Ó meus amigos desgraçados
se a vida é curta e a morte infinita
despertemos e vamos
eia!
vamos fazer qualquer coisa de louco e heróico
como era a Tuna do Zé Jacinto
tocando a marcha Almadanim!

sexta-feira, fevereiro 15, 2008

O Carnaval em Veneza ..

Sois uns felizardos!Que pena não poder estar convosco nesses convívios que, julgo eu, são um improviso bastante frequente.É como se estivessem noutros tempos e por outras paragens onde os encontros já não eram o acontecimento mas o "prato do dia".Bons tempos! E que saudades.
Mas nem só do passado vive o homem. O presente e o futuro também são nosso alento. E o que é preciso é ir vivendo o dia a dia sem sobressaltos e com alguma satisfação. É exactamente isso que vou tentando fazer. E, agora com alegria renovada devido ao nascimento da minha primeira netinha, a Maria Clara.
A vida continua...E, felizmente, não me queixo muito dela!A propósito do vosso encontro para almoço e convívio que telefonicamente se estendeu até mim, aproveito para partilhar convosco alguns momentos de folia vividos no Carnaval, em Veneza. Nunca tinha assistido e fiquei encantado. A sruas pejadas de multidão, vinda de todas as partes do mundo, que freneticamente fotografava e filmava as centenas de figurantes que davam brilho e cor aos festejos carnavalescos.Que deslumbramento! De registar a simpatia de todos aqueles/as personagens que simpaticamente se deixavam fotografar sem nada exigir em troca. E que beleza as máscaras que circulavam e se vendiam aos milhares pelas ruas deVeneza!Acreditem, vale a pena visitar.
Bastaria a beleza da cidade e dos canais onde gondoleiros brejeiros navegam com suas gôndolas plenas de história e uma imensidão de segredos que o tempo vai escondendo, para que Veneza nos atraísse e seduzisse!Mas o bulício carnavalesco, a animação das suas gentes, a luminosidade das ruas e praças, conferem-lhe um encanto muito especial, uma mais valia quase única e a não perder de modo algum.
Não será com certeza esta, a última vez que vou a Veneza!Pensem nisso. Quem sabe se para o ano teremos essa oportunidade! E tudo este " arrazoado " motivado pela alegria do vosso telefonema, de hoje. O meu muito obrigado que me atrevo a exprimir nas fotografias que vos envio, em anexo, para que possam partilhar deste encantamento que foi o Carnaval de Veneza.

P.S. Estou a organizar para a próxima Páscoa uma visita a uma das agora consideradas maravilhas do mundo: *PETRA*, na Jordânia.Depois contarei!


Um abraço para todos

By Francisco Almeida

Salimos a gañar ...

Estou um pouco expectante para ver, ouvir e ler os orgãos da comunicação social da especialidade e não só , para constatar que o jogo que ontem vi na companhia do C63 D.O. e família foi o mesmo .
O resultado foi muito, muito melhor que a exibição produzida pelo SLB . O Benfica não jogou para ganhar , não jogou para empatar , não jogou para perder , não jogou nada....
À saída quando vinha naquele mar de gente que vai desaguar ao Colombo , vinha atrás de mim um benfiquista em altos gritos insurgindo-se contra a exibição e principalmente contra Camacho.
Olhei para trás e era um grande conhecido meu de Mirandela e nosso contemporâneo em Bragança e que frequentava o Colégio S.João de Brito.
Grande abraços e disse-me ele em alta voz : já viste esta merda ? Não jogam um ca..... Vês esta malta que aqui vai , são prá aí uns 15.000 , pois podes ter a certeza que nenhum é tão burro como o Camacho , e que qualquer um armava e punha a jogar a equipa melhor que ele . O burro tirou o Cardoso.., que burro.
Eu que sempre fui pró Camacho , que já tinha a minha dúvida instalada , agora e definitivamente , tirem dali aquele gajo , é um burro ...

quinta-feira, fevereiro 14, 2008

Dia dos Namorados ...

Super Mensagens

Instituiu-se ser hoje o Dia dos Namorados e por isso , trata de o comemorar como se fosse o último , não importando que a sua finalidade seja comercial ou não. Cá por mim que já namoro com mesma há 475 meses , e que de certeza já não vou continuar a namorar outros tantos , penso ir ter um dia em cheio . Almoço na companhia de alguns queridos C63 residentes algures na zona da grande Lisboa e respectivas "namoradas", num Restaurante transmontano de Vinhais ( um belo cozido à portuguesa ), tarde a passear na praia , jantar na Catedral da Luz assistindo ao jogo do Glorioso e à noite com as duas minhas filhas e 3 netos e meio . Oxalá que tudo corra bem e que todos vós façais uma comemoraçãoque seja do v/agrado .

quarta-feira, fevereiro 13, 2008

Fotos do Baú ....


1º de Dezembro de 1960.
Quantos C63 aqui estão ?
Que é feito do Tanota ?
O que estaríamos a fazer ? Não me lembro.

Grandes Batalhas da História Universal (20)


MANCHÚRIA - 1948
Mao Tsé-Tung - Chang Kai-Chek
Passaram-se 60 anos desde que a vitória dos comunistas de Mao Tsé-Tung se tornou inevitável,após a Batalha da Manchúria e que constituiu o momento decisivo da Guerra Civil da China.
Os nacionalistas, sob a direcção de Chang Kai-Chek, personalidade dotada de um exagerado optimismo, após combates encarniçados, sofreram perdas irreparáveis de milhares de homens,
que concluiram com a transformação do país na República Popular da China.

Chamar os Bois pelos Nomes

Análise certeira dos "quixotismos" alegristas, ontem no DN:


DIZ QUE É UMA ESPÉCIE DE CHANTAGEM


João Miguel Tavares
jornalista
jmtavares@dn.pt

Estava eu entretido a mastigar o jantar quando Manuel Alegre irrompeu pelos telejornais das oito com aquele ar de quem acha que o País está necessitado de um novo 25 de Abril, a ameaçar com voz cavernosa: "Vocês não me desafiem, que eu vou às urnas." Fiquei logo com um naco de vitela entalado no esófago: é impressão minha ou o bardo do Mondego decidiu chantagear José Sócrates em horário nobre? Ai decidiu, decidiu. Alegre entende - e entende bem - que os níveis de socialismo no Partido Socialista desceram abaixo do aceitável, que este PS já não sabe a PS, e com o seu perfil profético e a fama de consciência da esquerda está cheio de vontade de fazer no Largo do Rato o mesmo que Jesus Cristo fez nas bodas de Caná: transformar a água em vinho.

Sócrates, evidentemente, que gosta mais de Vitalis do que de Barca Velha, deve ter começado a ver a vida a andar para trás. O que faltava agora era ele acabar refém de Alegre para garantir mais quatro anos à frente do País. Porque uma coisa é Sócrates sentir-se obrigado a dizer em todas as entrevistas que Manuel Alegre é uma das suas referências na literatura; outra coisa é ser obrigado a fingir no dia-a-dia que ele é uma das suas referências na política. Recorde-se que durante a recente remodelação governamental surgiram notícias a garantir que Alegre teria tido um papel decisivo no afastamento do ministro da Saúde. Na altura, eu não quis acreditar. Agora, já não ponho as mãos no fogo - e, quando se dá um dedo à "consciência da esquerda", ela acaba a pedir o braço. É esse o ponto em que estamos.

E como em tudo na vida, há um lado positivo e um lado negativo. O lado positivo é que até a mais alienada das almas reconhece que a despolitização da política em Portugal foi muito mais longe do que devia, e que toda a gente teria a ganhar se PS e PSD parassem de fingir que são diferentes e começassem realmente a ser diferentes. É um ponto em que Manuel Alegre tem toda a razão: o "pensamento único" infecta a democracia e a gestão musculada de Sócrates à frente do Partido Socialista (e do Governo) tem deixado no País o cheiro desagradável dos quartos mal arejados. Mas a investida alegrista encerra um perigo óbvio: é que à esquerda de Sócrates só há poesia ideológica e à sua direita há um PSD desvairado, nas mãos de Menezes e Santana. Por mais irritante que Sócrates seja - e demasiadas vezes é -, nada disto se assemelha a um mínimo de alternativa de Governo. Montado nos 20% das presidenciais, Manuel Alegre mete medo a Sócrates, e tendo em conta o tamanho do seu ego isso deve diverti-lo muito. Mas ninguém se lembraria de dar ao Grilo Falante o papel principal de Pinóquio.

segunda-feira, fevereiro 11, 2008

Mourir d'aimer...



Les parois de ma vie sont lisses
Je m'y accroche mais je glisse
Lentement vers ma destinée
Mourir d'aimer

Tandis que le monde me juge
Je ne vois pour moi qu'un refuge
Toute issue m'étant condamnée
Mourir d'aimer

Mourir d'aimer
De plein gré s'enfoncer dans la nuit
Payer l'amour au prix de sa vie
Pécher contre le corps mais non contre l'esprit

Laissons le monde à ses problèmes
Les gens haineux face à eux-mêmes
Avec leurs petites idées
Mourir d'aimer

Puisque notre amour ne peut vivre
Mieux vaut en refermer le livre
Et plutôt que de le brûler
Mourir d'aimer

Partir en redressant la tête
Sortir vainqueur d'une défaite
Renverser toutes les données
Mourir d'aimer

Mourir d'aimer
Comme on le peut de n'importe quoi
Abandonner tout derrière soi
Pour n'emporter que ce qui fut nous, qui fut toi

Tu es le printemps, moi l'automne
Ton cœur se prend, le mien se donne
Et ma route est déjà tracée
Mourir d'aimer
Mourir d'aimer
Mourir d'aimer

Il faut savoir...

Il faut savoir encore sourire
Quand le meilleur s'est retiré
Et qu'il ne reste que le pire
Dans une vie bête à pleurer

Il faut savoir, coûte que coûte
Garder toute sa dignité
Et malgré ce qu'il nous en coûte
S'en aller sans se retourner

Face au destin qui nous désarme
Et devant le bonheur perdu
Il faut savoir cacher ses larmes
Mais moi, mon cœur, je n'ai pas su

Il faut savoir quitter la table
Lorsque l'amour est desservi
Sans s'accrocher l'air pitoyable
Mais partir sans faire de bruit

Il faut savoir cacher sa peine
Sous le masque de tous les jours
Et retenir les cris de haine
Qui sont les derniers mots d'amour

Il faut savoir rester de glace
Et taire un cœur qui meurt déjà
Il faut savoir garder la face
Mais moi, mon cœur, je t'aime trop

Mais moi, je ne peux pas
Il faut savoir mais moi
Je ne sais pas...

A coisa está tremida...

Luisiana, Nebrasca e Washington são as três mais recentes conquistas de Barack Obama, o candidato democrata norte-americano, nas primárias que tiveram ontem mais uma volta decisiva para definir quem serão os candidatos republicanos e democratas às eleições presidenciais. A batalha com a também democrata Hillary Clinton continua apertada. Do lado dos republicanos, John McCain ganhou mas com pouca margem de vantagem para o rival Huckabee em Washington. Perdeu no Luisiana e Kansas e não está definido se é ele que corre nas eleições.

O que se passa na América determina o futuro da humanidade.
Vejamos o caos em que o George, alcoólico-fanático religioso, nos deixou.
Devemos seguir com muita atenção estas eleições, o nosso futuro como seres humanos também depende dela.

domingo, fevereiro 10, 2008

Ruptura ou continuidade?

Qualquer que seja o resultado final, já há uma grande inovação:
O Partido Democrata vai ter de escolher como seu candidato à Presidência, ou uma mulher (Hillary Clinton), ou um descendente de pai Queniano negro (Barack Obama)!
Acredito que, a partir de agora e verificando o entusiamo que eles despertam, nada vai ficar como dantes.
As mulheres e os negros, os desprotegidos em geral, poderão dar voz aos seus anseios mais profundos.
De facto, um e outro, trarão uma nova dimensão e forma de estar à América, contra a vontade dos Middle West e de todos os WASP mais radicais (brancos, anglo-saxónicos e protestantes).
Se um deles ganhar haverá um abrandamento do poder das confissões religiosas e uma distensão na aplicação (ou suspensão) do Patriot Act.
God bless América!
País de todos os contrastes, do mais rico ao mais pobre, do mais culto ao mais inculto, do mais progressista ao mais reaccionário, do ateu confesso ao religioso fanático.
América de todos os "vícios" e de todas as "virtudes".
América ingénua e prepotente!
América dos americanos.

Se fosse americano votaria OBAMA!
Eu sou europeu!

PS - não esqueçamos que o "etablishment" tem uma capacidade de adaptação, incorporação e regeneração notáveis!
A bom entendedor...

Para as n/Colheiteiras


Conselhos utilíssimos...

Um video de apoio espantoso!

Barack Obama: yes they can!

Tendência ou novo partido?


Público, 10 de Fevereiro de 2008:

Manuel Alegre almoçou ontem, num hotel de Lisboa, com mais de três centenas de militantes do PS e deu os primeiros passos para a formação de uma tendência política autónoma dentro do partido. "A nossa aposta é num movimento de opinião pública que se reflicta dentro do partido", disse Alegre no intervalo da reunião que decorreu durante a tarde.A "corrente de opinião", como também lhe chamou, foi justificada desta forma aos seus apoiantes, na reunião que decorreu à porta fechada: "Ninguém sozinho pode fazer nada e a nossa força, a capacidade eleitoral que tivemos, serve para mudar o PS, não para obter representatividade no aparelho, mas na opinião pública e no País."

A ser assim tem muita mais gente a concordar, se for um novo partido vai fazer estragos e perder importância dentro de anos.
Lembremos UEDS, PRP e outros...
É importante o PS ter uma ala esquerda forte e organizada!
Para bem de todos nós.
Quando alguém, ou algum partido se acomoda é o principio do fim!

sábado, fevereiro 09, 2008

Viagem ao Fim da Noite

Queridíssimos, antes de mais deixai-me manifestar a minha gratidão pelo vosso interesse e cuidado relativamente meu estado de saúde. Um abraço apertado e agradecido a todos os que procuraram saber de mim. Aqui estou novamente convosco, com a asa canhota ainda um bocada derreada e bastante canhestra, coitada...
Não posso deixar de mandar um obrigada especial ao Chico Almeida e à Neninha que andaram comigo "ao colo" no Porto, me levaram a passear por lugares bonitos, me ofereceram um magnífico lanche em sua casa. É bom sentir a calor da amizade, particularmente quando estamos mais frágeis. Obrigada mil vezes, amigos. Mas, Chico, não precisavas de levar o teu perfeccionismo ao ponto de ires de propósito a casa de meu pai devolver as hermesetas de que me esqueci na vossa casa!
Oxalá eu possa ser merecedora de todas as vossas manifestações de carinho e atenção.
Talvez estranheis o título desta posta, mais é assim que eu me sinto: a regressar de uma viagem ao fim da noite. Que exagero, não é?, encarar assim uma "simples" fractura. Mas para mim, que tenho a mania que sou forte e autónoma, foi infernal: desde 10h da manhã do dia 17 de Dezembro de 2007 - quando escorreguei em caca de cão (causa escatológica, indigna, humilhante!) na beira de um passeio do Porto - até há bem pouco tempo, não conseguia fazer coisas tão básicas como cortar as unhas da mão direita ou descascar uma frutinha para a sobremesa. Grandes lições de humildade que a vida, de vez em quando, se encarrega de nos dar.
Mas agora que ninguém se atreva a dizer que tenho um parafuso a menos: mostro logo os raios X do meu pobre úmero esquerdo estilhaçado, gloriosamente sustentado por uma vareta e 3 parafusos 3!!! Que tal?! Tenho juízo para dar e vender.
E pronto, queridos colheiteiros, resta-me por hoje dizer que estou feliz por estar aqui, na vossa companhia.
Agora quero dar um abração de PARABÉNS pela "retraite" à Gelica. Sabe bem, não sabe? Goza-a bem, com saúde e boa disposição!
Um beijo de PARABÉNS também à Bibi e à Mercês pelos seus aniversários. Que contem muitos e bons anos!
Só mais uma coisinha. Vi na TV uma entrevista ao Charles Aznavour que vem a Lisboa na próxima semana. Não tenciono ir vê-lo: faz-me impressão que cantores como ele, a Amália e outros não saibam retirar-se dos palcos na devida altura, e "imponham" aos seus espectadores a triste realidade da degenerescência da voz. Mas como gosto de lembrar o magnífico cantor que ele foi, peço ao nosso HB que ponha aqui umas músicas dele. Especialmente "Il faut savoir"!!! Se ainda vos lembrais do Francês que aprendemos no Liceu, atentai bem na letra.
" Il faut savoir quitter la table / lorsque l'amour est desservi/ sans s'accrocher l'air pitoyable/ et partir sans faire de bruit..."
Adoro.
  • CLICA AQUI PARA OUVIR A ENTREVISTA
  • sexta-feira, fevereiro 08, 2008

    Visitar Seia ...

    Eis uma boa oportunidade para vir a Seia
    Cá vos espero ...

    LICEU - 150 anos ... Parte II

    LICEU - 150 ANOS

    CRÓNICA SEMANAL (46ª)

    Semana cheia e vazia
    Em tempo de Carnaval, tivemos uma semana intensa e abundante em temas polémicos:

    1. Ainda no rescaldo das comemorações dos 100 anos do regicídio, tenho que demonstrar a minha mais sincera indignação pela irresponsabilidade cultural e histórica com que os partidos da esquerda, que se dizem enquadrados na ideia de “Esquerda Moderna”, chumbaram o voto de pesar relativo ao rei D. Carlos, não abdicando, assim, da sua tendência mesquinha, jacobina e ultra-republicana. Ou seja, para PS, PCP e BE é mais relevante uma suposta sustentabilidade da República do que fazer revigorar um espírito comemorativo de uma data que marca inevitavelmente o percurso histórico e político da Nação Portuguesa. Portanto, para mim uma profunda desilusão.
    2. São noticiados novos conteúdos da turbulenta biografia de José Sócrates. Independentemente da gravidade das revelações e da total liberdade de investigação por parte dos profissionais do jornal “Público” penso que esta “novela Sócrates – parte II” não terá um impacto tão amplo como se sucedeu com a questão da licenciatura do Primeiro-Ministro pela simples razão de se tratar em mais uma manobra jornalística para desviar atenções. Nesta esteira, se calhar amanhã descobre-se inadvertidamente que Sócrates não fez a primária, ou que ficou satisfeito com a derrota de Mário Soares nas Presidenciais de 2006. Enfim, são notícias que não passam de meras lamechices jornalísticas. Vamos aguardar pelos próximos episódios.
    3. A nossa selecção vai de mal a pior. Portugal perdeu bem por 3-1 com a campeã do mundo, a Itália. Mesmo tratando-se de um amigável, os adeptos começam a desesperar da passividade e teimosia do seleccionador Scolari. A perpetuação de Ricardo na baliza é o exemplo mais concreto dessa obstinação. Penso que a “era Ricardo” expirou. O guarda-redes Quim é indubitavelmente o melhor e deveria ter a oportunidade de demonstrar todas as suas qualidades e potencial. Depois, os idolatrados “mágicos” C. Ronaldo, Quaresma, Nani. Onde estiveram? Jogaram? Pessoalmente, não os vi. Penso que em campo não esteve o “quase” jogador mais bem pago do mundo.
    By Afonso Leitão

    Hoje faz anos a...

    Mercês Gonçalves

    Um grande abraço de parabéns para vós nosso ( Mira/hélder) e de toda a Colheita63.


    quinta-feira, fevereiro 07, 2008

    LICEU - 150 anos ... I

    Veio ter-me à mão o livro " LICEU - 150 ANOS " , editado pela Escola Secundária Emídio Garcia no ano de 2004 , data em que se comemoraram os 150 anos da sua existência . Penso que foi a GB que ofereceu 1 a cada um no Encontro Colheita63 em Bragança.

    É um livro despretencioso , que recolhe as cerimónias e actos efectuados durante o evento mas o que mais me interessa nele é a descrição da apresentação feita pelo Zé Monteiro ( Colheiteiro62), meu companheiro de turma nalguns anos e que a tem a seguinte frase lapidar :


    continua...

    Orgão do Mar - Interessantíssimo ...



    ORGÃO DO MAR

    Situado na costa de Zadar uma cidade da Croácia, encontramos o Órgão do Mar, degraus cravados em rochas que têm no seu interior um interessante sistema de tubulações que, quando empurradas pelos movimentos do mar, forçam o ar e, dependendo do tamanho e velocidade da onda, criam notas musicais, sons aleatórios.
    Criado em 2005 e ganhador do prêmio europeu para espaços públicos (European Prize for Urban Public Space), o Órgão do Mar recebe turistas de várias partes do mundo que vêm escutar uma música original que traz muita paz.
    O lugar também é conhecido por oferecer um belo pôr-do-sol, o que agrada ainda mais as pessoas que visitam a localidade. Zadar é uma bela cidade litorânea da Croácia e foi duramente castigada durante a 2º Guerra Mundial.
    A criação do Órgão é também uma iniciativa para devolver um pouco do que o lugar perdeu com tanta destruição e sofrimento. Veja a estrutura interna das 'escadas'.
    O detalhamento das cordas e notas musicais que somadas a energia das ondas criam sons: As lacunas no concreto servem para o Órgão 'respirar' e também para levar os sons criados nas tubulações.

    By Mercês Gonçalves

    quarta-feira, fevereiro 06, 2008

    O Dia dos Diabos


    Hoje em Vinhais
    A tradição já não é o que era.
    No entanto fazemos quase tudo para a preservar.
    By Jorge Tomé
    Quando andávamos no Liceu e precisamente neste dia , lembro-me bem de ver as"mortes" e os "Diabos" nos Batocos e a subirem para a capela da Srª da Piedade . Ainda farão isso ?

    Grandes Batalhas da História Universal (19)

    EL - ALAMEIN - 1942

    Bernard Montgomery - Edwin Rommel

    No decurso da II Guerra Mundial em África, as batalhas que decidiram o resultado final, travaram-se em El-Alamein, cidade costeira egípcia, em 1942.
    Grandes vultos da História Militar estiveram frente a frente, no Comando dos exércitos em oposição - Montgomery pelos Aliados e Rommel pelas forças do Eixo.
    Este, podendo dispôr apenas de um terço do total dos efectivos do Afrika Korps, não pôde justificar a fama das suas virtudes estratégicas - "raposa do deserto" -, começando aí a sua desventura.

    O que é que estavas a pensar ?

    Um homem do Norte, É SEMPRE um homem do Norte, carago.

    Um industrial de Paços de Ferreira foi à Noruega comprar madeira para a sua fábrica de móveis. À noite, sózinho no bar do hotel, repara numa loira encostada ao bar. Não sabendo falar norueguês, pediu ao barman um bloco e uma caneta.

    Desenhou um copo com dois cubos de gelo e mostrou-o à loira. Ela, sorriu e tomaram um copo.

    De seguida começou a tocar uma música romântica. Ele, pega novamente no bloco, desenha um casal a dançar e mostra-lhe. Ela levanta-se e vão dançar. Terminada a música, regressam ao bar e é ela que pega no bloco.


    Desenha uma cama, uma cadeira e uma cómoda e mostra-lhe. Ele vê e diz:
    - Sim, sim, sou de Paços de Ferreira...


    By Mercês Gonçalves

    No melhor pano cai a nódoa ....

    AS ÁRDUAS TAREFAS DE TELMO CORREIA

    Grave, incisivo, acusador, o Público fez, em cinco fatais colunas, a parangona de um episódio inquietante: "Ex-ministro do Turismo Telmo Correia assinou 300 despachos na véspera de sair." O conteúdo da notícia sugere pesadas conclusões. Numa altura em que as sombras do céu tombam, inclementes, sobre as actividades dos políticos profissionais, e as suspeitas acerca da bondade dos Governos atingem proporções de ruína, a informação constitui um acrescento à desconfiança autóctone.

    Telmo Correia é um orador de frase redonda e um pouco convulsiva. Ocasionalmente, na SIC Notícias, dou pela sua loquacidade barroca, reveladora de um conhecimento antiquado do povo, que só lhe calha bem por ser quem é, e por representar aquilo que representa. No meu modesto entender, está errado de alto a baixo. No entanto, serei sempre o primeiro a defender a liberdade da sua voz. Adianto: aplaudo, com enternecida emoção, o esforço raro, acaso selvático, do diligente Telmo, pela ingente tarefa a que se consagrou. É obra!, assinar 300 despachos, com aquela rapidez, em tão escasso tempo. O ministro Telmo Correia estava de malas aviadas, mas não desejava deixar a meio projectos poderosos e fundamentais que, sem a sua assinatura, seriam irremediáveis. Além do mais, um leitor rápido, demonstrativo de como se deve mergulhar no trabalho com o altivo vigor que a pátria exige e a História consagra. Estou a ver este nobre e impecável português, saindo do ministério, arquejante e trôpego, porém no alvoroço feliz de quem cumpriu um dever imperativo.

    Nessa tormentosa e épica insânia, quanto tempo demorou Telmo a tomar conhecimento do conteúdo dos 300 documentos e a assiná-los? Se, por cada um, consumiu cinco módicos minutos, trabalhou, seguidas, 25 horas. Se gastou dez minutos, o que não seria de mais, despendeu 50 horas. Acaso os não tivesse lido, limitando-se à forma visual de uma curta rubrica, despachada e meramente mecânica, revelar-se-ia o facto inapelável de que o ministro Telmo agiu com a leviandade que o cargo contradiz e as funções abominam.

    Procedeu a leitura transversal? Outro, por ele e de sua estrita confiança, leu os despachos e sussurrou-lhe ao ouvido a matéria em questão? Como o Público informou, pelo menos um de esses documentos configurava aspectos gravosos. Haverá outros? Longe de mim descrer das canseiras, do mérito, do estudo, da celeridade com que Telmo Correia devora páginas e páginas. Não serei eu a acusá-lo da mais exígua infâmia. Pelo contrário: terei satisfação em apontá-lo como exemplo de trabalho sem pausa, de patriotismo sem tréguas e de modelo de virtudes sem mácula.


    Baptista-Bastos , no DN de hoje

    Carreira profissional

    terça-feira, fevereiro 05, 2008

    Fundo do Baú ... 1962


    Para passear a vista e reanimar a memória..
    Fotos do baú da Aida ( há mais )
    Nota : Estou a tentar arranjar estas fotos em tamanho maior . Aguardai....

    FOI PRIMAVERA E CHOVIA...

    Com o correr dos anos vamos ficando cada dia mais detalhados no olhar. Aquilo que nos rodeava, e, sobretudo, a paisagem, era vista, sem detalhes. E todas as terras nos pareciam iguais. Porém, umas mais iguais que as outras. Foi o caso da cidade de Bragança.
    Lembro-me que da minha primeira visita a Trás-os-Montes, serem primeiro as rochas que me impressionaram, na sua eternidade e rudeza, na sua imponência e nobreza, de quem há muitos milhares de séculos se habituou a ver passar os tempos, as modas e os Homens.
    Depois, pelo calor e serena fraternidade dos que lá estavam, detive-me nos Homens que lá fui encontrar. Ainda eram esses mais belos que as pedras altaneiras que dobram frios e ventos, neves geadas e calores.
    Agora, ao regressar, pela mão amiga de quem me é muito querido e por àquela mesma terra pertencer por sangue, tive a oportunidade de rever, com atenção e detalhe, a matéria dada.
    Foi muito reconfortante, para o espírito e para a carne, o calor fraternal das gentes que generosamente me acolheram e me mimaram.
    Não vou dar nomes porque, qualquer citação ou mesmo escolha, seria indecorosa para gente tão generosa como amiga.
    A todos, casais e solteiros, mesmo incidentalmente, e para o meu AMIGO, Hélder Barreira, primas e primos, conhecidos e afilhados, sejam ou não da apurada COLHEITA 63 vão os meus votos sinceros de uma larga vida, para eu poder continuar a ter, pelo menos o sonho, a certeza de, um dia, lá poder voltar.
    Ali, eu fui muito feliz!

    João Sena 5.2.08

    Aniversário natalício da ....

    Image Hosted by ImageShack.us
    Para si e Isaías um grande abraço nosso ( Mira/Hélder ) e de toda a Colheita63. Prá semana paga o lanche...

    segunda-feira, fevereiro 04, 2008

    O outro lado do regicídio...Parte II

    Foi francamente desajustada e de uma hipocrisia sem limites, duas posições tomadas pela AR, leia-se Partido Socialista, relativas
    às comemorações do centenário do regicídio, levadas a cabo por diversas entidades, sob a direcção e orientação da Causa Monárquica.
    A primeira foi a manifestação de desacordo e, ao mesmo tempo a recomendação ao Governo, leia-se Ministro da Defesa Nacional, para proibir as Unidades Militares - Colégio Militar e Regimento de Lanceiros -bem como a Banda do Exército, de participar em cerimónias alusivas ao acto. Refiro que El-Rei D. Carlos foi Comandante Honorário do referido Regimento e teve fortes ligações ao Colégio Militar, desde criança.
    Não satisfeitos com esta desconsideração, os senhores deputados votaram desfavoravelmente um voto de pesar, apresentado por um deputado social democrata, pelo homicídio real ocorrido há cem anos!
    Razões invocadas para estes dois dislates, não passam de razões esfarrapadas, para quem de democracia só sabe conjugar o verbo - Estar no poder !
    E não é que o símbolo máximo do nosso poder esteve presente numa cerimónia alusiva a El-Rei ?
    Em que ficamos ? Será que ele tem "sangue azul" e a maioria dos deputados o tem "VERMELHO" ?

    O outro lado do regicídio ...

    Quando era pequeno e se falava em monarquia , imediatamente o meu Pai enaltecia Vinhais e o famoso Buiça , homem valente que matou o Rei , dizia ele. Agora quando estive em Bragança e esperava o meu amigo Toninho Afonso no àtrio do Hotel Ibis, ao folhear o jornal " Nordeste " deparei com um interessante artigo do Armando Fernandes ( Gulbenkian ) que não resisto a trancrever , com a devida vénia do autor e do Jornal . Para quem não saiba o Armando Fernandes , depois de sair de Bragança , foi Deputado à Assembleia da República pelo PRD e é um ilustre comentador , nomeadamente na àrea da gastronomia e vive em Santarém . Há tempos entrei num Restaurante em Carnide o "Miudinho" e vi e li devidamente emoldurado um artigo seu , sobre o mesmo Restaurante , Gostei de ver o seu nome .... e o Restaurante recomenda-se , especialmente na área dos grelhados.

    Uma questão de apelidos

    Todos os dias faço uma caminhada de nove quilómetros a modos de expiação do pecado da gula, na terça-feira passada, enquanto calcorreava a estrada toca o telemóvel, do outro lado estava Roberto Afonso da Câmara de Vinhais, após os cumprimentos dá-me conta das andanças de Mário Robalo jornalista do Expresso, na procura de descendentes ou parentes de Manuel Buiça, o Buiça actor principal do drama conhecido como Regicídio.

    Falámos de Vinhais, autorizo-o a dar o meu número de telefone ao jornalista. Não tarda a ligar-me a dar conta das suas precisões, combinámos almoçar nesse mesmo dia e depois em minha casa verificámos papéis e documentos relacionados com o filho do Abade de Vinhais, já que tenho intenção de escrever um livro sobre o antigo militar, exímio atirador e professor no Colégio Nacional. Vemos certidões de nascimento, topo o nome do meu trisavô – Francisco Xavier Buiça, o do meu bisavô – José Manuel Buiça e o do meu avô – Francisco do Nascimento Buiça.

    Digo ao jornalista estar a ensaiar um artigo a publicar na revista Brigantia, intitulado: Buiça, um apelido perigoso! A razão prende-se com o facto de o meu avô depois emigrar para o Brasil ter ido trabalhar para a majestática “Ligth and Power”, e um dia ter sido chamado à presença do todo-poderoso director inglês. Entrou no gabinete, o homem perguntou-lhe o nome completo, o meu avô declinou-o, o “beef”voltou a perguntar: tem parentesco com o Buiça que matou o rei de Portugal? O antigo professor nas horas vagas respondeu: sou primo direito dele. Pode retirar-se, assim fez o natural de Lagarelhos e passado pouco tempo deixou a dita companhia de transportes, tendo singrado como comerciante de padarias e cafés, não sem antes ter trabalhado duramente.

    Este episódio contei a Mário Robalo, enquanto ele tentava estabelecer os nexos de parentesco existentes entre diversos membros acobertados debaixo do apelido Buiça. Nessa altura, perguntou-me:”porque motivo a sua mãe não tem o apelido Buiça, enquanto os irmãos o têm?” Mas tem o apelido Buiça, retruquei e para o provar fui buscar um livro em que ela assina lindamente – Clemência Maria Buiça.

    O jornalista hábil, persistente, volta à carga: porque razão o Armando não recebeu o apelido Buiça? Respondi sincera e frontalmente, como é meu timbre: na alta adolescência gostava de ter tido o mal-afamado apelido, mas quando podia fazê-lo, isto é: “requisitá-lo” não o fiz, pois vanidades ou snobismos deste calibre não fazem o meu género, deixo isso para os queques. Agora, uma coisa é certa, o apelido Buiça continua a suscitar censuras e olhares de soslaio, como muitas vezes tenho recebido quando divulgo o parentesco. Acrescentei: é minha convicção não ter recebido o dito apelido e à minha mãe ter sido subtraído por razões de protecção aos dois, apesar do meu tio José o usar e não o impedir de pertencer à Polícia de Segurança Pública.

    O Expresso já publicou a peça, por isso mesmo tenho recebido muitos telefonemas a pedirem mais referências e outros a perguntarem aquilo que o jornalista perguntou. O meu avô nunca mostrou desprezo pelo seu apelido, antes se orgulhava de continuar o nome de uma família antiga, honesta e trabalhadora. Em sua homenagem a casa de Lagarelhos é a “Casa Buiça”. Na altura do regicídio tinha ele doze anos, dadas as notícias ameaçadoras contra a família nessa casa hoje minha propriedade foi feito um falso para lá ser enfiado caso se concretizasse a morte de todos os parentes até à sexta geração.

    Não aconteceu, ainda bem digo eu, enquanto alguns acéfalos pouco admiradores da minha pessoa dirão: Que pena! Que pena! A família tem-se, os amigos escolhem-se, dizem os sábios, o conhecimento tão exaustivo quanto possível que tenho do Buiça, leva-me a convicção de ele na altura estar apossado de um violento idealismo vanguardista e maleável a ouvir o canto da sereia. Mas isso fica para o artigo acima referido.

    No mais, nenhum dos membros da família jamais mostrou regozijo pelo acontecido, muito menos incensou o parente mais ou menos chegado de todos, que originou alterações políticas de tomo e também levou à perda do apelido para alguns de nós.

    Por: Armando Fernandes

    Depois do vendaval a bonança ...

    Foi um autêntico vendaval gastronómico e de emoções esta minha breve estadia pelo Nordeste Transmontano na companhia do meu amigo e bloguista Bernardino Louro e esposa Julinha . Agora àguinhas ( poucas ) para voltar às minhas 7 arrobas e meia. Depois de fortes repastos em Mirandela ao almoço e em Bragança ao jantar ( no Copinhos) seguiu-se o dia D na Feira de Vinhais , antecipado pelo pequeno almoço no Flórida na companhia da Gélica/Arnaldo , Aida/Adalberto e da Madalena ( Pássaro ), tendo ficado logo aprazado o jantar à noite no Ruca em Gimonde. A partir daqui e até à meia noite foi tudo seguido , sem intervalos , comer , beber , conversar e reviver, com as saborosas histórias contadas por todos , mas em especial pelo n/amigo Fernando Pires ( Pássaro), que tem uma memória de elefante. De entre todas não resisto a contar a favorita do Adalberto .
    O n/Colheiteiro63 BV que como sabeis teve sempre uma piada pró fininho, respondia sempre às perguntas quer soubesse ou não a resposta, se sabia muito bem se não sabia entrava uma qualquer mesmo que fosse diferente , que foi sempre o caso nesta chamada oral de física do Dr. Francisco Pires , protelando este toda a situação durante toda aula . Pergunta feita , resposta dada mesmo que fosse outra .
    No fim o Dr. Pires com aquele sorriso de troça disse-lhe : então ,que curso queres tirar ? Física , respondeu de pronto o BV. Perante o ar incrédulo do Professor , ainda acrescentou : o Sr. Drº também o tirou ....
    Só foi pena o meu Benfica não ter ganho ...~
    Tirei muito poucas fotos , mas ainda deu para este pequeno trabalho . Encontrei na Feira a N/Colheiteira63 Bernardete , que envia beijinhos e abraços para todos.

    A música não está muito bem , mas não me apetece mexer mais nisso.

    Até pró ano ...

    Dia de muito trabalho!


    Hoje foi um dia de muito trabalho!
    Levantei-me, tomei o pequeno almoço e fui à cidade, ao mercado.
    Comprei duas figueiras e plantei-as, isto é, mandei-as plantar!

    Será que em Setembro já como figos?

    sexta-feira, fevereiro 01, 2008

    CRÓNICA SEMANAL (45ª)

    100 anos e reflexões

    Em 1906, o senense Afonso Costa disse no Parlamento: “Por muito menos crimes do que os cometidos por D. Carlos rolou no cadafalso, em França, a cabeça de Luís XVI”. A 1 de Fevereiro 1908, o penúltimo monarca da História de Portugal, D. Carlos I, e o seu primogénito Luís Filipe são clamorosamente assassinados na Rua do Arsenal, em Lisboa, por Manuel Buíça e Alfredo Costa, respectivamente. Abatidos de imediato, os autores foram elevados a mártires pela imprensa republicana. Os cadáveres das duas figuras monárquicas foram embalsamados.
    Hoje, dia 1 de Fevereiro de 2008 comemoram-se os 100 anos deste atroz acontecimento que galvanizou os militantes afectos ao ideal republicano, cujas repercussões sócio-políticos se traduziram num desenfreado aceleramento do processo de queda da Monarquia. Paralelamente ao que efectivamente se sucedeu nesse dia, cabe-nos a nós, cidadãos portugueses do século XXI, tentar compreender as grandes razões que subjazem a este assassinato. Senão vejamos alguns factos: no inicio do século XX tínhamos um país atrasado, pobre, rural, sofredor, analfabeto e cansado da insensibilidade e da gula desenfreada da classe política e da inoperância da medidas em matéria de finanças públicas. Os republicanos, defensores de um novo projecto e de uma nova ideologia, derrubaram a monarquia em 1910. Contudo, o panorama social, político e económico não sofreu grandes mudanças até 1933.
    Seguramente dever-se-á colocar as seguintes questões: justificou-se o atentado? Seria necessário? Primeiro, um atentado nunca é justificável por mais legítimo que possa ser o desejo de estabelecimento da ordem e de uma nova ideia de Direito. Segundo, não era necessário exterminar pessoas humanas, mas era indispensável transformar a sociedade, pois o “prazo de validade” da Monarquia já tinha expirado.
    Em suma, fiquei muito congratulado por esta comemoração coincidir com a minha crónica semanal, pois é uma temática histórica que sempre despertou o meu interesse e fascínio pelo que é possível que daqui a umas semanas voltemos a falar de alguns membros da família real.

    By Afonso Leitão