A interactividade da Colheita63 em movimento contínuo para todo o Mundo e especialmente para Lisboa , Tomar , Monte Estoril , Linda-a-Velha , Setúbal , Coimbra , Porto , VNGaia , Braga , VNFamalicão , Santo Tirso , Afife , Vila Real , Vinhais , Bragança , Castelo Branco , Seia , Vendas Novas , Varsenare e Aveiro

quarta-feira, junho 29, 2011

Vira-casaca

Embora sendo clara a significação, não era clara, para mim, a origem.
Googlei e saiu isto:

Conforme lhe parecia mais conveniente, o duque de Savóia, Carlo Emanuele I, ora aliava-se à França, ora à Espanha. Tinha uma casaca interessante: branca de um lado, vermelha do outro, e que se poderia usar de qualquer deles. Para a França, o lado branco, para a Espanha, o vermelho.

É possível que desse seu hábito tenha se originado a expressão "virar casaca"para os que mudam de opinião política.

Naturalmente, com o tempo, a expressão estendeu-se a todo o comportamento "catavento", motivado por interesses pessoais!

É o que mais se vê, por aí!

Nota - este postal não tem nada a ver com a afirmação "elegante" que o perro fez nos comentários, relativamente a mim, no postal anterior. É pura coincidência.

6 comentários:

mc disse...

Lendo nas estrelas, por enquanto só nas estrelas, os indícios do futuro próximo, vai haver quem não só mude de casaca como de camisa, de calças e da própria alma. On verra.

IFFT disse...

Que fez "mossa" fez, pois ficaste a moer com o comentário!
Aguardemos para ver, se neste verão, que promete muito calor, não usarás com alguma frequência o casaco branco , forrado de encarnado(rosa)!

DuarteO disse...

Meu lindo:
Estás a projectar, isto é, a atribuir aos outros as tuas possibilidades!

É desta que vais emagrecer...

HB disse...

Já cá fazias falta , mas a verdade é que nenhum vai mudar .....

Anónimo disse...

Com o caminho que isto leva todos teremos que ir virando as casacas e os colarinhos das camisas..Não era assim que se fazia nos tempos da outra senhora?? Será que já ninguém se lembra disto??!!
gb

Anónimo disse...

Já nos estamos a habituar a mudar o furo do cinto, o que até é bom, já que ficamos mais elegantes. No Natal, também será melhor haver menos consumismo. Os nossos Filhos e Netos precisavam desta lição como de pão para a boca!... e nós ainda mais porque fomos nós que os habituámos... UM