A interactividade da Colheita63 em movimento contínuo para todo o Mundo e especialmente para Lisboa , Tomar , Monte Estoril , Linda-a-Velha , Setúbal , Coimbra , Porto , VNGaia , Braga , VNFamalicão , Santo Tirso , Afife , Vila Real , Vinhais , Bragança , Castelo Branco , Seia , Vendas Novas , Varsenare e Aveiro

quinta-feira, fevereiro 10, 2011

Idosa!

No Público pode ler-se o relato completo.
A ser verdadeira a notícia, há incúria da GNR, da PSP e dos Tribunais.
Pergunto: COMO ISTO PODE TER ACONTECIDO?
Pobre de quem é velho e vive só!

4 comentários:

IFFT disse...

E os vizinhos?
Para que servem? Apenas para criticarem e para falarem mal da vida dos outros?
Sucederia um caso destes, numa qualquer aldeia do nosso País?
Todos se voltam para as autoridades e ninguém pensa em alterar a sua maneira de estar, quando de manhã desce no elevador do seu prédio e nem sequer dá os bons dias a quem desce com ele para a rua!
Depois ficamos muito indignados com estas situações e escrevemos artigos em que pomos em causa valores como a solidariedade humana e a amizade.
Mas, que fazer?

Anónimo disse...

IFFT,uma vizinha dirigiu-se a diferentes autoridades 13 vezes!!
É inacreditavel.É preciso o fisco entrar em acção para se poder ir abrir aquela porta...

Duarte disse...

IFFT:
Se lesses a notícia antes de falar verificavas que vizinhas e um familiar deram conta, às autoridades, da falta da idosa.
Claro que numa aldeia nada disto se passaria!
Quanto ao elevador, em Lisboa, costumo cumprimentar todos os que já lá estão!

mc disse...

Desde o mau feitio da própria a tudo quanto podia e devia ter sido feito e não foi ou foi tentado e não teve consequências, nada correu bem neste caso. Mas ,deixando de lado as idiossincrasias individuais,creio que sobretudo pôe a nu as formas deficientes de operação das entidades quer de apoio social quer judiciais e de segurança que deviam ter actuado com sentido de oportunidade.Paira sobre este caso uma ambiência de tragédia inevitável, que não escapa ao tom melodramático quer na ausência de cheiros denunciadores quer na existência dos corpos dos animais mortos.