A interactividade da Colheita63 em movimento contínuo para todo o Mundo e especialmente para Lisboa , Tomar , Monte Estoril , Linda-a-Velha , Setúbal , Coimbra , Porto , VNGaia , Braga , VNFamalicão , Santo Tirso , Afife , Vila Real , Vinhais , Bragança , Castelo Branco , Seia , Vendas Novas , Varsenare e Aveiro

quarta-feira, julho 30, 2008

Massagens nas praias...


Este ano tem sido moda no Algarve a massagem na praia.
O Senhor Comandante Marítimo do Algarve proibiu-as porque "todos sabemos como uma massagem começa mas ninguém sabe como acaba"!
Estranho defensor da "moral praiensis"!
Ali, à vista de toda a gente, não poderiam acabar muito longe!
E se acabassem no quarto do hotel, ou do apartamento, o que é que ele tinha a ver com isso?
Seria um contrato livre entre dois adultos livres!
Nunca pratiquei estes contratos, mas não os defendo, nem os critico.
E as massagens que os casalinhos de namorados executam, também serão proibidas?

Vi em New York, em Greenwich Village, o bairro culto e intelectual dos artistas, ruas com imensas massagistas para os pés, em que os clientes se sentavam de pernas para o ar, sem terem qualquer interferência da polícia.
Mas eram inofensivas massagens aos pés, só poderiam terminar nos joelhos...

5 comentários:

Oris disse...

Caramba, o sr. Comandante Marítimo do Algarve só tinha que ir ver....às vezes, até se poderia tornar cliente...
Assim, já ficava a saber como as massagens acabavam...
:)

Beijitos

IFFT disse...

Será o Sr. Comandante Marítimo do Algarve um defensor da "Moral Praiensis", sabedor certamente de "como uma massagem começa mas ninguém sabe como acaba", ou um capaz oficial da Marinha de Guerra Portuguesa, exercendo funções na Polícia Marítima, cumprindo ordens de qualquer mentecapto, com ideias controladoras, no Governo do nosso País ?

DuarteO disse...

Eh! Eh! Eh!
Não aguentas!
Só pulas mais se te tocarem no Sporting!
Penso mesmo que a culpa é do Mário Soares!

Hélder disse...

ou do João Moutinho , hé...hé...hé...

IFFT disse...

...aplaudidas, veementemente, por alguns colegas meus, colheiteiros de 63, que sempre que podem manifestam "urbi et orbi" a sua veia interclassista e, ao mesmo tempo, ditatorial.
A coerência sempre foi o seu Norte!