A interactividade da Colheita63 em movimento contínuo para todo o Mundo e especialmente para Lisboa , Tomar , Monte Estoril , Linda-a-Velha , Setúbal , Coimbra , Porto , VNGaia , Braga , VNFamalicão , Santo Tirso , Afife , Vila Real , Vinhais , Bragança , Castelo Branco , Seia , Vendas Novas , Varsenare e Aveiro

quinta-feira, fevereiro 22, 2007

É fartar vilanagem ....

Com 30 e tal pontos à maior sustentados em 30 e tal maiorias absolutas, eis senão quando o madeirense com os "tomates" maiores que qualquer "contenental" decide em época carnavalesca plebescitar-se perante o seu povo. Aqui d'el rei que me "roubaram" o que era "meu" e agora já não posso gastar faustosamente ( 1 milhão de cts para um jornal diário com 5.000 tiragens é obra ...) em tudo o que lhe apetecia , chantangeando sempre todos os mandantes do "contenente" que muito servilmente aceitavam. O resultado está à vista, o reizinho sentiu que lhe estavam a tirar o tapete debaixo dos pés , que não mais podia andar permanentemente a jogar aos carnavais , que doravante tinha que fazer contas ( aconteceu o mesmo a todos ) e teve uma birra, que depois de passar, vai ficar tudo na mesma ou ainda pior...
Já agora quem quiser ser espanhol ( Chaves e Valença ) podem sê-lo à vontade , a mim não me faz qualquer diferença.
Moral da história : em tempos de vacas gordas todos gozam á vontade, o pior é que ninguém quer ter os seus ónus, os culpados são sempre os outros. Aonde isto irá parar ......

10 comentários:

Karet disse...

Amigo Helder:concordo em absoluto com o teu artigo no que respeita ao rei madeirense!Agora quanto aos 2 últimos parágrafos ,como calculas, discordo completamente.São por demais conhecidas as minhas posições e discordâncias com a actual (des)governação do país e quando disse que um dia, já lá vão 33 anos ,lutei pela libertação do mesmo e pelos direitos fundamentais do nosso povo...acredita amigo, que o fiz desprovido de qq interesses e apenas pelo bem do nosso povo.Eu pouco ou nada ganhei em termos individuais com o 25 de Abril...a não ser o direito de aqui exprimir livremente as minhas opiniões e o fim da guerra colonial.Económicamente, acredita, que com o antigo regime estaria muito melhor...mas não me arrependo por isso.Entendo isso sim que o direito à educação e à saúde são bens inalienáveis que todos os cidadãos deste país devem ter independentemente de qq déficites.Poupem noutras coisas e há muitas! Quanto ao haver cidadãos que queiram ser espanhóis...isso tem que ser visto noutra perspectiva desprovida de partidarismos!E podes crer que noutros tempos alguém nos pretendeu vender modelos da Rússia, da Albânia, de Cuba e pasme-se até da Costa Rica...pois bem nenhum desses modelos se assemelha sequer ao de Espanha...

ATILA disse...

Amigo Vítor : conheçemo-nos desde garotos, era amigo do teu Pai(um grande Homem que sempre me tratou muito bem)e compreendo perfeitamente a tua posição, como espero que compreendas a minha. Tivémos caminhos diferentes na n/vida, tu na parte da defesa da Pátria e dos Portugueses e eu mais na defesa da economia e de Portugal e talvez seja isso que determina a n/diferença de opinião. Mas Vítor, sem ovos não de podem fazer omeletes, o caminho é muito difícil, tem que se ir por algum lado e como sabes ninguém gosta de ser atingido, mas alguém tem de ser.O antigo regime estava condenado ao fracasso, vocês, os militares ( e ainda bem)abreviaram apenas a sua morte e não mais as coisas continuariam iguais.Por isso não tenhas ilusões , não estavas melhor no anterior regime, estarias muito pior.Bates sempre no "poupem noutras coisas". Penso que às que te referes são irrelevantes como valor, embora pense que sim, psicológicamente era muito bom que os governantes começassem por si e dessem o exemplo ao povo.Esses outros tempos em que nos queriam importar modelos, sabes bem que o povo deu a sua resposta, que foi bem conclusiva. Da diferença de opiniões nasce a luz, é isso que estamos aqui a fazer. Um grande abraço e exprime sempre as tuas como te apetecer.
Nota:Mais uma vez te digo que
sempre que quiseres escrever um artigo, seja o que o for o n/blogue está sempre à tua disposição

Isaías disse...

O artigo de ontem do Público,última página, escrito por Helena Matos, brilhante "opinion maker " da nossa praça, explica bem tambem na minha perspectiva a posição do Alberto João.Senão vejamos.
Após apontar razões sobejamente já identificadas, aponta esta razão e passo a transcrever:
"...outra razão existe:Albero João tem pela primeira vez em Lisboa alguém com quem se identifica. Tirem o ar boçal e alguns anos a Alberto João, vistam-no melhor, anulem-lhe o sotaque e eis o que sobra:um homem que detesta que o confrontem e um lider que gosta de se ver como um animal feroz. Ou seja:José Sócrates, um homem que como Jardim, é feito pelo poder.
Não se imagina Alberto João a fazer
oposição, arrastando-se anos pelo Parlamento, fosse ele Regional ou Nacional.Quanto a Sócrates, convém recordarque não só foi um mau lider de oposição como apenas ganhou as eleições porque Santana as perdeu.Mas o poder deu-lhe o carisma que não tinha. Afinal, o exercício do poder que desgasta os outros lideres é o que dá forma e estrutura a homens como Sócrates e Jardim."
Veremos se esta querida Jornalista
não terá razão...
Um abraço Isaías.

Hélder disse...

Isaías : outra coisa não me faria rir mais Hè...Hé...Hé... Até tu comparas o incomparável ....

gb disse...

Amigos,o rei Alberto Joao é único!!mas..se em vez de ser madeirense fosse transmontano estaria esta região tão pobre e tão esquecida???
Será que até lhe admiravamos todas as suas palhaçadas?? A culpa foi dele ou de quem sempre lhe teve medo??

Anónimo disse...

Gélica sou da tua opinião apesar de achar que o Alberto João é rude e grotesco, uma espécie de Berlusconi à dimensão madeirense, mas não me restam dúvidas que Trás-os-Montes estaria bem diferente se tivesse tido um Alberto João.

Lena Pires

gb disse...

Lena,quando digo que ele é único..estou a lembrar-me de todos os nomes feios que conheço...e vou dizendo cada vez que o ouço.

Karet disse...

Afinal o "homem" fez on não bem o seu trabalho?É inegável que sim!Quem não acreditar que vá lá ver!E o povo genuíno da Madeira adora ou não o "homem"?É evidente que ele só puxou a corda até onde o deixaram consecutivos governos de diversas cores.Na verdade se tivessemos tido a sorte de ter tido um "homem" assim em Trás-os-Montes não estaríamos no enorme atraso em que nos encontramos.Confesso que não aprecio a sua postura mas reconheço que tem sido um brilhante governante.Por vezes a verdade incomoda e como o "homem" não tem papas na língua seja para quem for...ganhou tantos "amigos de estimação"!Para ele não existe o tão seguido "politicamente correcto" e as "meias tintas" e vai directo ao assunto sem pruridos nem punhos de renda...bem à antiga portuguesa...Também faz falta quem atire pedradas no charco...

Jorge disse...

Já uma vez aqui o disse e volto a repetir.
Não perco tempo com tal CARETO e que me desculpem estes.

Alberto David disse...

É o custo da Democracia, os politicos de uma forma geral, ignoram o verdadeiro povo, Alberto João não podia ser excepção, conseguiu à custa dos Cubanos construir o seu império, não foi o grande culpado, aproveitou, não foi inteligente, foi experto, que me perdoem alguns, mas existe uma enorme diferença, só que os expertos abundam por este Pais fora.
Gastar uma pipa de massa só por causa de uma birra, é obra, que têm obra feita, não se duvida, mas a que preço ? e com que Democracia ? Sabem por acaso a dificuldade que se têm em arranjar emprego na Madeira, senão se pertencer ao PSD-Madeira ? Gastar um milhão de contos dos Cubanos num pequeno jornal, para que a sua palavra passe, é no minimo uma Obra que mostra o tipo de politico que é. Mas quem terá a culpa ? No meu entender o Povo sem dúvida. Custa-me opinar sobre esta figura, talvez por ser Cubano, mas fica aqui o desafio para quem queira conhecer a verdadeira democracia Madeirense, visite a Madeira e fale às escondidas com os Madeirenses.
Quanto ao teu bom amigo Karet, não tenho o direito de fazer comentários, não o conheço, podia ser indelicado sem querer, também nós podiamos estar melhor se tivessemos escolhido o antigo regime, tu terias chegado a Tenente Coronel, e eu não teria conhecido o meu Pai que até era Capitão no Aljube, nem levado a minha primeira bofetada com três anos de um miserável agente da Pide, numa das vezes, que foi a minha casa passar busca a casa de minha mãe.
Parabêns pelo teu blog, é um espaço aberto, onde a verdadeira Democracia mora, e o espirito da Amizade, Bem Hajas pois.