A interactividade da Colheita63 em movimento contínuo para todo o Mundo e especialmente para Lisboa , Tomar , Monte Estoril , Linda-a-Velha , Setúbal , Coimbra , Porto , VNGaia , Braga , VNFamalicão , Santo Tirso , Afife , Vila Real , Vinhais , Bragança , Castelo Branco , Seia , Vendas Novas , Varsenare e Aveiro

terça-feira, fevereiro 27, 2007

URGÊNCIAS HOSPITALARES, adenda.

Vi, no Prós e Contra, o debate sobre a questão das urgências.
Foi um debate intenso, vivo, profundo, sem ofensas, e com opiniões diversificadas.
Paradoxalmente, e ainda bem, a moderadora tomou uma atitute adequada.
Confesso que clarifiquei ideias e mudifiquei a minha opinião.

Depois de refletir sobre o que ouvi apetece-me dizer:
  1. O Ministério deve continuar a reorganização da rede de urgências cujos trabalhos começaram, salvo erro, em 1996 ou 1999
  2. A exposição dos elementos da Comissão Técnica foi, para mim, absolutamente esclarecedora e fundamentada
  3. A Comissão Técnica trabalhou de forma gratuita e continha médicos de todo o País
  4. A implementação dos novas formas de organização dos Centros de Saúde tem de ocorrer em simultâneo
  5. Cerca de metade das autarquias discordantes chegaram já a acordo com o Ministério tendo sido defininido, em protocolo, novas formas de organização dos serviços de saúde locais, conforme as especifidades próprias
  6. Quase todas as outras têm reuniões agendadas no Ministério
  7. O Ministro foi claro, aberto ao dialogo e esclarecedor
  8. Segundo a O.M.S. Portugal, em termos de qualidade de saúde, está em 12º lugar mundial, tendo à frente a França (1º lugar), Espanha, Itália, e atrás, pasme-se, a Inglaterra, os países nórdicos, os Estado Unidos e outros grandes e ricos países
  9. Apesar de haver alguma dificuldade em a opinião pública assimilar muitos conceitos técnicos, desta vez, por mérito da moderadora e de todos os participantes, a linguagem foi bastante acessível e clara
  10. Só não percebeu quem, por razões emotivas (não acredito que haja outras) não conseguiu ver/ouvir para além do imediato
  11. Ficou claro que é indispensável a definição dos percursos entre os serviços (que já está a ser elaborada pela Comissão Técnica)
  12. Ressaltou a necessidade de dotação adequada do INEM para poder cumprir a sua quota parte de responsabilidade nesta questão
  13. Ficou ainda claro a importância da existência de Médicos Internistas espalhados pelos hospitais de todo o país, na prática serão eles a espinha dorsal deste sistema
  14. Compreendo que, mesmo assim, haja quem não fique satisfeito
  15. A politica é a arte de decidir, ora, decidindo não se agrada a todos
  16. Agradar a todos é o caminho mais curto para o fracasso
  17. No total serão criados muitos mais serviços de urgência (nas várias modalidades) do que os que mudam de estatuto
  18. O País fica totalmente coberto por esta rede de Urgências, nas suas diversas formas
  19. Não sejamos utópicos, não pode haver uma urgência em cada bairro.
  20. Claro que todos nós gostaríamos que a urgência fosse no nosso bairro

5 comentários:

Karet disse...

Amigo Osório:De uma maneira geral gostei das informações prestadas pela Comissão Técnica mas sinceramente desgostou-me a actuação da moderadora , bem longe da imparcialidade a que nos habituou noutros programas, pelo que em boa verdade o referido programa,ontem,mais se deveria chamar...PRÓS E PRÓS!O Contra esteve muito mitigado e foi silenciado!O presidente da Câmara de Vendas Novas a muito custo foi autorizado a balbuciar algumas palavras, num minuto,foi-lhe cortada a palavra e nem teve direito a resposta.O contraditório não funcionou desta vez o que inclusivamente já mereceu uma queixa para a Alta Autoridade para a Comunicação Social por parte do maior partido da oposição segundo ouvi há momentos na SIC NOTÍCIAS!Acho, salvo melhor opinião, que ouve manipulação do programa.Peço desculpa mas esta é a minha opinião.Ouve claramente um branqueamento da actuação do ministério.Os pressupostos que já anteriormente referi no que respeita a VN continuam,a meu ver, válidos.Contudo, como não sou fundamentalista, sou de opinião de que devem existir Hospitais intermédios (Vila Real,Évora,Faro) com todas as condições para receber os doentes das respectivas árias de influência, sem ter que se recorrer sempre a Lisboa,Porto ou Coimbra.Também o Ministro não foi convincente na explicação da existência de tantos especialistas em Coimbra em detrimento das demais regiões.Enfim assistimos a um programa em família!!!

Duarte disse...

Caro Vitor,
A apresentadora foi soft e não foi agressiva para os PROS, mas também não o foi para os CONTRA.
O contraditório não foi partidário mas sim exercido pelos participantes que estavam contra.
Este projecto vem muito de trás, passou por governos PSD, só que não o aplicaram.
Admito que VN se sinta prejudicada, compete ao Presidente da Camara dialogar e defender os interesses da sua terra para obter contrapartidas.
Coimbra é outra história ("Coimbra é uma canção, de sonho e tradição..."), nenhum dos governos desde o 24 teve os ditos no sítio para resolver a questão.
É a cidade da Europa com mais médicos por habitante.
Cuidado ao passares por lá, arriscas-te a ser levado aos HUC sem necessidade.
Reclama-se a cidade da saúde.
PUDERA!
De qualquer forma o que conheço do projecto foi o que ouvi no programa, não o conheço ao pormenor.
Um abraço

gb disse...

Não voltei a ver o programa PRÓS e CONTRAS desde que nele vi a "nojenta lavagem" da SRa Ministra da Educação e suas políticas educativas.

M.C. disse...

Sempre acutilante e por boas razões,
Gélica, Se fosses caçadora, não falhavas um alvo.Manuel( muito bem disposto no regresso do almoço de parabéns da Levinda e do Isaías).

Karet disse...

Não acredito na classificação da OMS.Não está em causa o prestígio dessa Instituição, mas parecem-me coincidências a mais!Vivi nos EUA durante o ano de 1985 frequentando um curso de pós-graduação;recorri diversas vezes ao Hospital Militar local e sinceramente, até hoje, não vi melhor!Marcaram-me diversas consultas para as 07H30 da manhã e pasme-se, antes dessa hora, comparecia eu julgando que tudo seria à portuguesa com a espera dos médicos pelo menos mais 2 ou 3 horas, mas qual foi o meu espanto quando fui chamado à hora exacta pelo respectivo médico (Cap) e no decorrer da mesma fomos visitados pelo Chefe de Serviço (Ten-Cor)que rotineiramente inspeccionava as consultas.Daí dirigi-me na passada aos exames auxiliares de diagnóstico que me foram prescritos,voltando à referida consulta sempre acompanhado por um enfermeiro.De novo em frente ao médico verifiquei que os resultados dos referidos exames já lá se encontravam pelo que o médico me fez as recomendações que entendeu na ausência,felizmente para mim,de algum problema.Isto repetiu-se diversas vezes sempre com o mesmo ritual.Haverá paralelo no nosso país?Também um dia recorri às urgências a acompanhar um camarada da Somália que não tinha carro e a quem eu dava sempre boleia e pude verificar como a triagem (em 1985) já funcionava e com oportunidade foi atendido já com febre tirada,tensão arterial medida etc,etc,etc...Gostava de saber quais os pressupostos que levaram ás conclusões da OMS!É claro que pelo menos nos EUA a maior parte das pessoas recorre à clínica privada pois lá estão muito em voga os seguros de saúde e os hospitais públicos são para quem não pode acho eu; de qualquer forma das 2 uma, ou o nível do serviço baixou considerávelmente,o que sinceramente não acredito ou o nosso serviço de saúde está já num patamar de grandíssimo nível, o que não deixa de ser estranho por evidentes razões...a não ser que a OMS tenha apenas apreciado os Hospitais de Coimbra.Há 3 ou 4 anos fui fazer uma ecografia prostática ao HospMilPrincipal em Lisboa.Mandaram-me estar lá às 08H30 com 2 litros de água bebida.Fui colocado na respectiva fila de espera e o médico resolveu chegar já passava das 10H30!!!É claro que de 4º ou 5º da fila passei para 1º por desistência dos demais que não puderam esperar(por motivos fisiológicos obvios)!Eu eatava a aguentar estoicamente, quando, não podendo mais, fui à casa de banho urinar pois até via as estrelas e não desmaiei por pouco.Ainda estava na casa de banho ouvi chamar pelo meu nome e um tanto apressadamente dirigi-me ao gabinete médico no preciso momento em que a enfermeira fazia o relatório das desistências referindo ao médico (civil) que os oficiais em causa se tinham ido embora e que iam comunicar o facto superiormente,ao que o médico aludiu não se preocupar com isso!Finalmente pude ser visto e referi ao médico que tinha acabado de urinar porque não aguentei mais!Resposta imediata-não tem qualquer problema vamos fazer a ecografia!Das 2 uma , ou não necessitava de beber tanta água e portanto é uma panaceia (o que não acredito) ou então a eco foi mal feita.Aqui de certeza que a OMS não entrou!Haja vergonha!