A interactividade da Colheita63 em movimento contínuo para todo o Mundo e especialmente para Lisboa , Tomar , Monte Estoril , Linda-a-Velha , Setúbal , Coimbra , Porto , VNGaia , Braga , VNFamalicão , Santo Tirso , Afife , Vila Real , Vinhais , Bragança , Castelo Branco , Seia , Vendas Novas , Varsenare e Aveiro

domingo, fevereiro 25, 2007

URGÊNCIAS HOSPITALARES

O Ministro da Saúde tem razão em querer reorganizar a rede de Urgências Hospitalares.
A Comissão Técnica apresentou, provavelmente, um relatório que deve estar cheio de "razões científicas".
O Ministro tem sido desastrado a lidar com este problema.
Lembra um elefante numa loja de porcelanas.

De verdade o que muitas das vilas reclamantes necessitam é de "consultas permanentes" com alguma diferenciação.
Só quem trabalhou anos e anos num serviço de urgência sabe o que isto significa.
São milhões gastos em recursos não rentabilizados.
É um sorvedouro de dinheiro a correr para o bolso de alguns médicos, sem qualquer justificação.

O que falha é a prestação de cuidados médicos a montante da urgência.

Neste momento os Serviços de Urgência, na generalidade, além de tratarem urgências - poucas - tratam emergências - muito poucas - e, acima de tudo, fazem "consulta permanente".
Os Serviços de Urgência são inundados por doentes que necessitam de consulta mas que nunca lá deveriam ir.
Para isso os serviços de saúde a montante têm de responder às necessidades dos utentes.

Importante é dar resposta nos serviços de ambulatório, consultas dos Hospitais e dos Centros de Saúde, por exemplo, e não só das 9 horas às 13 horas!
Quem estivesse doente, uma gripe por ex., deveria ir ao seu médico nesse mesmo dia. Não recorreria ao serviço de urgência.

Assim só iriam ao serviço de urgência os doentes referenciados pelos seus médicos como URGÊNCIAS MÉDICAS e os doentes com EMERGÊNCIAS MÉDICAS.

Mas fiquem cientes: é preferivel uma boa Urgência a 20-30 Km, do que uma má Urgência à porta de casa. Desde que haja uma boa rede de transporte, ambulâncias com assistência (enfermeiro, por ex.), não necessáriamente medicalizadas.

Mas repito, o Ministro está a ser completamente obtuso na forma de lidar com esta questão.

NÃO BASTA TER RAZÃO, É NECESSÁRIO TER BOM SENSO.

5 comentários:

Hélder disse...

Quem fala assim não é gago ... Estou 100% de acordo

gb disse...

Exactamente...
Não é possível retirar nem acrescentar nada ao teu post.

Mas afinal essas Comissões Técnicas são formadas por quem???
Lisboetas...

Karet disse...

Concordo completamente com o descrito pelo amigo Osório.É isso mesmo que eu penso e a que já me referi aqui noutros artigos.Na terra onde eu vivo existe um Serviço de urgências SAP sem quaisquer meios, apenas médico permanente e pouco mais.Nem raios X tem!Mas as pessoas sentem-se protegidas com o pouco que têm.Eu já fui assistido várias vezes, e bem, nesse serviço assim como alguns familiares.O sistema actual de médicos de família não é eficiente pois os médicos são poucos e não são a tempo integral.Há muita gente que não tem sequer médico de família...logo quando surge algum problema tem mesmo de recorrer às urgências do Centro de Saúde.A urgência Hospitalar mais próxima e que também não está isenta de críticas negativas fica a 65Km em Évora.A meio caminho fica Montemor-o-Novo que tem o mesmo sistema de Vendas Novas.Inicialmente a dita Comissão Técnica(!) previu não só manter, mas aumentar valências do nosso SAP transformando-o em SUB,já com raios X e outras melhorias e tal foi comunicado à Autarquia pela Sub-Região de Saúde.Só que depois o lobi poderoso de MN deu a volta ao texto e qual cambalhota política o Ministério com a arrogância habitual decidiu retirar O SAP de VN!É contra estas injustiças que as pessoas se mobilizaram e não concordam com o encerramento.De referir que existe uma Corporação de BV com algumas ambulâncias insuficientes para alimentar as novas determinações e quanto ao equipamento das mesmas em meios técnicos humanos ...estamos conversados!Esta terra situa-se num importante nó rodoviário com diversas AE e IP e os acidentes são constantes.Tem um Quartel dos principais do país e que se apoia neste CS.Tem um parque industrial em franco desenvolvimento e isto é real!Como é possível não atender a todas estas circunstâncias?

Karet disse...

Complementando o comentário anterior apenas direi que a famosa decisão final contempla Montemor-o-Novo que fica apenas a 25 km de Évora e tem menos população(VN é a 5ª cidade do Alentejo e a que maior subida tem tido em todos os índices de crescimento)e não apresenta os constrangimentos que referi anteriormente quanto à situação geográfica de VN!Esclarecedor acho eu!!!

M Carvalho disse...

Com esta unanimidade nos comentários ao texto do Osório tenho de concluir
pela obtusidade do ministro, que uma vez mais deixa que a prática tosca do poder obnubile a razão inicial.E , uma vez mais, é pena.
Mas, para que nem tudo seja mau, fica a confirmação da capacidade de intervenção das populações que reagem
aos excessos governamentais.E isso é
positivo.