A interactividade da Colheita63 em movimento contínuo para todo o Mundo e especialmente para Lisboa , Tomar , Monte Estoril , Linda-a-Velha , Setúbal , Coimbra , Porto , VNGaia , Braga , VNFamalicão , Santo Tirso , Afife , Vila Real , Vinhais , Bragança , Castelo Branco , Seia , Vendas Novas , Varsenare e Aveiro

sexta-feira, julho 20, 2007

CRÓNICA DE SEXTA-FEIRA (31ª)

PS em Lisboa

As eleições intercalares de Lisboa, escrutinadas no Domingo, confirmaram o inevitável: a vitória do candidato, apoiado pelo Partido Socialista (PS), Antónia Costa sem maioria absoluta, e a profunda crise em que mergulharam o PSD e o CDS/PP.
Numa primeira análise os grandes vencedores da noite foram Carmona Rodrigues e Helena Roseta pois duas candidaturas independentes sem o apoio da máquina partidária e com as explícitas dificuldades em pulverizar o seu programa junto do eleitorado, conseguirem eleger três e dois mandatos, respectivamente, ultrapassando por sua vez determinados partidos políticos, por conseguinte, considero inquestionável o êxito destes dois movimentos no escrutínio.
Numa segunda análise, apesar da vitória irreversível de António Costa, não nos podemos descurar do facto do PS não ter cumprido o seu objectivo cimeiro, a maioria absoluta, e de que, quando encetar as suas funções, terá que discernir determinadas reformas e medidas com acordos/ coligações com as restantes forças partidárias, e, se pretende vencer em 2009, em muitas das áreas terá de ceder, dadas as condições pouco profícuas à governação camarária.
Numa terceira análise, e para concluir, “o maior derrotado” da noite foi o sistema político-partidário português particularmente devido à abstenção confirmada nas eleições intercalares. Ou seja, a população sente que a política não procura responder aos seus ensejos e dificuldades, mas sim aos interesses mesquinhos de uma minoria de “imbecis” sem atitude e pujança. Além disso, o desinteresse pela política é crescente, e, nesse sentido, a instabilidade da câmara da capital ao longos deste últimos meses e o descontentamento de largas franjas da sociedade relativa à governação contribuem para adensar este fenómeno de negatividade que paira sobre a nossa política.

By Afonso Leitão

5 comentários:

j.p.s. disse...

Afonso:

Penso que em certa medida tem razão. Agora acho que houve a vitória da corrupção ou a vitória de Carmona, infelizmente.
Agora o PS foi o grande vencedor e o PSD o grande derrota.

Anónimo disse...

Afonso então como vão as suas férias?Aproveite bem e se tiver
oportunidade volte a Bragança.Temos
muito que ver e faço muito gosto em
acompanha-lo.Um dos locais é o largo de S. Vicente,monumento aos
mortos da 1ª.G.Mundial,aonde esteve
o General H.Delgado,o "Homem sem Medo", recorda de termos falado deste assunto?Foi pouco tempo.
Relativamente à crónica,está bem.Trouxe um tema actual e focou com isenção os resultados.
Agora só no final do mandato é
que os lisboetas vão dizer quem
ganhou.
Um abraço Bartomeu Velho

Anónimo disse...

Peço desculpa por utilizar este
espaço,pois é um assunto diferente.
Manuel e Zélia. e outros.
Estavamos a falar da Dª.Palmira.
Daquela história que contou a Zélia,da assinatura confesso que
não me recordo.Porem num passeio-
LOCAL? ia ela e uma menina que cantou,salvo erro uma canção italiana.Passeio ? Excursão?
Quem ajuda?
Agradeço. Bartolomeu

afonso disse...

Sr Bartolomeu:

As férias estão a correr bem, agora menos nervoso com os exames e candidaturas. Não sei se dará para ir a Bragança este ano mas se for dir-lhe-ei.

Um abraço

M.C. disse...

Bartolomeu: não sei como te ajudar: uma branca total, ou então pura ignorância minha.Abraço.