A interactividade da Colheita63 em movimento contínuo para todo o Mundo e especialmente para Lisboa , Tomar , Monte Estoril , Linda-a-Velha , Setúbal , Coimbra , Porto , VNGaia , Braga , VNFamalicão , Santo Tirso , Afife , Vila Real , Vinhais , Bragança , Castelo Branco , Seia , Vendas Novas , Varsenare e Aveiro

domingo, dezembro 31, 2006

BOM ANO da Teresa Pires

Bom Ano

Queridos colheiteiros, quando se aproxima um novo ano (apesar de sabermos que esta coisa do Tempo é criação humana, convencionada, (relativa), interrogamo-nos sobre o que virá. Como sou estruturalmente céptica, não me vou pôr a inventar cenários optimistas para o nosso futuro, que sinto não serem prováveis... Mas acreditai que do coração vos desejo a todos tempos melhores! Para vós colheiteiros da Colheita de 63 -a mais gira, a mais criativa, a mais animada das que passaram pelo Liceu Nacional deBragança - um longo, saudoso e apertado abraço da Teresa Pires.Deixo-vos um pequeno trecho das Memórias de Raul Brandão em que ele celebra aquela coisa banal, quotidiana e...essencial que se chama Vida."Se tivesse de recomeçar a vida, recomeçava-a com os mesmos erros e paixões. Não me arrependo,nunca me arrependi. Perdia outras tantas horas diante do que é eterno, embebido ainda neste sonho puído. Não me habituo: não posso ver uma árvore sem espanto, e acabo desconhecendo a vida e titubeando como comecei a vida. Ignoro tudo, acho tudo esplêndido, até as coisas vulgares:extraio ternura duma pedra. Não sei - nem me importo - se creio na imortalidade da alma, mas do fundo do meu ser agradeço a Deus ter-me deixado assistir um momento a este espectáculo desabalado da vida. Isso me basta. (...) As coisas belas reduzem-se a meia dúzia: o tecto que me cobre, o lume que me aquece, o pão que como, a estopa e a luz."

A vida está aí, agora, e mais logo quando soarem as doze badaladas da meia-noite.
Bom Ano, meus amigos.
By Teresa Pires

4 comentários:

Anónimo disse...

A Teresa quando escreve,nem é preciso dizer mais nada.
Continua sempre.
Um BOM ANO
BARTOLOMEU

Anónimo disse...

Teresa ,

queria poder saber onde e como procurar a maneira como ves e sentes a vida !!!!!!!

Ano de Luz e Amor para Ti

Teresa disse...

Anónimo, Anónimo, quem és tu?!...(Não respondas "Ninguém!!!...." que me fazes sentir saudades das aulas de Português da Tia Carolina)
Ok, mesmo anónimo, eu respondo-te: não sei, mas desconfio que o meu modo de ver e sentir a vida vem de muito longe...Do húmus transmontano onde mergulham as minhas (nossas) raizes.
Obrigada pelo teu voto carinhoso. Como diriam as minhas avós, Deus to acrescente!

M.C. disse...

Raúl Brandão , "Húmus" , petroleiros do ideal... estão ligados e também Bragança.
Raúl Brandão era jornalista, que
não deixava de criticar as políticas do governo.Mas era de profissão oficial do exército e vivia em Lisboa.Diversos avisos de moderação que lhe foram endereçados foram por ele desprezados.O governo decidiu
jogar forte e deu-lhe a escolher
entre continuar a viver em Lisboa
e controlar a escrita ou ser transferido para o quartel de Bragança.Ficou em Lisboa.

Só pelas transcrições de excertos
dele que a Teresa já nos deu , se pode avaliar a riqueza do seu pensar e a beleza da sua prosa.
Perdoamos-lhe não ter ido para Bragança. MC