A interactividade da Colheita63 em movimento contínuo para todo o Mundo e especialmente para Lisboa , Tomar , Monte Estoril , Linda-a-Velha , Setúbal , Coimbra , Porto , VNGaia , Braga , VNFamalicão , Santo Tirso , Afife , Vila Real , Vinhais , Bragança , Castelo Branco , Seia , Vendas Novas , Varsenare e Aveiro

terça-feira, março 30, 2010

Mar...


Inscrição


Quando eu morrer voltarei para buscar
Os instantes que não vivi junto ao mar

Sophia de Mello Breyner Andresen
Mar, Ed. Caminho

6 comentários:

Rosa dos Ventos disse...

Como eu me arrependo de ter vendido há anos o pequeno apartamento que tinha frente ao mar da Nazaré...
Passaria aí, agora, os meus dias a olhar o mar que tanto amo e talvez fosse mais inspirada! :-))

Abraço

Anónimo disse...

Caminhar junto ao mar, na areia, é mais difícil, mas muito agradável e será melhor aproveitá-lo enquanto vivemos, digo eu. Depois, as tarefas serão outras, por ventura ainda mais gratificantes. Esta vida é agora!
Vivam já.
Fbbc

Anónimo disse...

Eu, para não ter que voltar, vivo todos os momentos que posso,junto ao mar !!!!
Adoro o mar !!!!
C.

mc disse...

Se eu tenho um vício? - O gosto da proximidade do mar.

Zélia disse...

Cá por mim,o marulhar constante irrita-me, por isso mar tem que ser com conta peso e medida... sou mais galinha do campo.

Zélia

Anónimo disse...

O mar fatiga-me, até me causa alergia. Adoro o verde , o alto das serras, por exemplo Nogueira ,Bornes, Montesinho, Gerês etc. M.A.A.